A tenda da solidariedade

FotoDepois do sucesso da iniciativa de levar carinho e muita diversão para os internos do Lar dos Velhinhos Maria Madalena, no Núcleo Bandeirante, a ONG Abraço está com uma nova campanha: comprar uma tenda para servir de apoio aos alunos que praticam capoeira na Praça da Moda, na QE 40, do Guará II.

Com cerca de 30 alunos, o projeto da Abraço coordena aulas gratuitas de capoeira para a comunidade, em especial crianças e adolescentes, todas as. terças e quintas-feiras, a partir das 20 horas. As aulas são ministradas pelo contramestre Geléia, professor com anos de experiência e referência na capoeira do Distrito Federal.

Segundo o coordenador da Abraço, Paulo Saphi, a campanha é o último recurso que a ONG encontrou para comprar a tenda e levar um pouco de conforto para os participantes. “Buscamos apoio no poder público e na iniciativa privada. Depois de meses de enrolação, e como a situação na Praça da Moda se complicou por conta das chuvas e para que os participantes da capoeira não ficassem prejudicados, resolvemos apelar para os amigos e simpatizantes e vamos fazer uma vaquinha”, diz Paulinho.

A ideia, de acordo com o coordenador da ONG, é comprar uma tenda usada, no tamanho 10m x 10m, que custa R$ 4.000,00. “O ideal seria encontrar 80 colaboradores e cada um contribuir com R$ 50,00. A pessoa interessada em participar entra em contato comigo pelo telefone 8326.1744 (tim) e, a exemplo do que fizemos no Lar dos Velhinhos, vamos prestando contas diariamente no face do valor arrecadado. Tudo muito claro e transparente”, garante Paulinho.

A ONG Abraço é uma entidade sem fins lucrativos e existe há mais de três anos. Seu primeiro projeto social foi as aulas de capoeira. Elas aconteciam no Parque Denner, no Polo de Modas, e reunia de 20 a 30 participantes por aula. “Infelizmente, tivemos de encerrar as atividades no parque porque o local virou ponto de consumo e tráfico de drogas e não deu mais para continuar por absoluta falta de segurança, apesar de termos denunciado o fato as autoridades”, diz ele.

Como nenhuma providência concreta foi tomada, e em respeito aos alunos que cobravam o retorno das atividades, a ONG levou as aulas para a Praça da Moda até que seja encontrado um local mais apropriado com conforto e segurança para os participantes.

Sobre a ONG, Paulo Saphi diz que a proposta é oferecer uma oportunidade de lazer sem nenhum custo e resgatar entre as crianças e adolescentes, principalmente, valores importantes, como respeito, disciplina e solidariedade. “No caso da capoeira, nosso trabalho é preventivo. Queremos que eles cresçam longe das drogas e se tornem cidadãos de bem”, afirma Paulinho. Para os adultos, diz ele, além de valorizar a cultura popular brasileira, a atividade contribui para prevenir doenças e ajuda no combate ao estresse, a insônia e o diabetes, proporcionando bem-estar aos participantes.

Fonte: Paulo Saphi

COMPARTILHAR
Artigo anteriorSandra Faraj reúne setor produtivo em audiência pública
Próximo artigoProjetos importantes para o país não têm a atenção de parlamentares
Consultor em Marketing Político; especialista em pesquisa de opinião pública; editor do Portal Conectado ao Poder; escreve a coluna On´s e Off´s, de segunda a sexta, no Jornal Alô Brasília; apresenta o programa Conectado ao Poder, aos sábados, das 6h às 8h, na Rádio 104,1 Metrópoles FM. É presidente da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*

code