Ações de combate ao mosquito reduzem em 66% casos de dengue em Cidade Ocidental

A cidade goiana também se sobressai quando comparada à região do Distrito Federal

Durante este ano já foram realizadas mais de 5 mil visitas nas casas de moradores, em especial nos bairros que fazem proximidade com o Distrito Federal.

O prefeito Fábio Correa investe cada vez mais em ações pra combate da dengue, em Cidade Ocidental. O município é referência no entorno sul na luta contra o mosquito Aedes aegypti. De janeiro a julho do ano passado foram registrados 51 casos contra 151 do mesmo período do ano de 2017, uma redução de 66%.  Os dados desse ano também são satisfatórios, de acordo com a Secretaria Estadual da Saúde de Goiás o município goiano, registrou de janeiros a fevereiro 59 possíveis casos da doença.

A cidade goiana também se sobressai quando comparada à região do Distrito Federal. A Capital Federal registrou, de 30 de dezembro a 6 de fevereiro, 552 suspeitas da doença, alta de 125% em relação ao mesmo período de 2018. Recanto das Emas, Estrutural e São Sebastião são áreas mais críticas. Se a doença não for contida, há possibilidade de surto nas três regiões administrativas.

A área leste de saúde é a que apresentou o maior número no período, com 180 registros. Fazem parte da região Itapoã, Paranoá, Jardim Botânico e São Sebastião, que centraliza 118 dos possíveis infectados. Devido à proximidade de Cidade Ocidental com a cidade satélite de São Sebastião no Distrito Federal, o prefeito Fábio Correa intensificou as visitas nas casas e as ações de conscientização dos moradores.

“Apesar dos dados positivos, a nossa preocupação com a proliferação do mosquito não diminuiu no município. Junto com a Secretaria de Saúde intensificamos os mutirões, as visitas e os atendimentos. Para garantir a saúde da população”, afirmou o prefeito.

Durante este ano já foram realizadas mais de 5 mil visitas nas casas de moradores, em especial nos bairros que fazem proximidade com o Distrito Federal. Mais as ações não param por ai, além da visita dos agentes de endemias para conscientização dos moradores, são feitas eliminações de possíveis criatórios e ações educativas nas escolas públicas e particulares do município.

De acordo com a Secretaria, o último tem sido um dos mais eficientes métodos de conscientização da população. “Uma criança, quando chama a atenção de um adulto para um tema como esse, consegue sensibilizar muito mais”, explica a gerente municipal de endemias, Andréa Soares.

Segundo dados divulgados, pela Secretaria de Saúde do município as principais causas de contágio, é a falta de cuidado com os criatórios do mosquito, recipientes que acumulam água parada e reservatórios de agua sem a devida proteção. 

Para 2019, o prefeito Fábio Correa, prevê a ampliação das ações de educação e esclarecimento da população, além de atividades pontuais nos bairros e no centro da cidade, como blitzs educativas e distribuição de materiais informativos.  “Nossa intenção é baixar ainda mais os casos, mas para isso, precisamos da colaboração dos moradores em todos os níveis da sociedade”, alerta Fábio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*

code