Alberto Fraga – Não sou de ferro!

Alberto Fraga (01)Por esses dias fui afrontado e agredido moralmente por uma pessoa no Facebook, por ter apenas reproduzido uma noticia, que versava sobre o deputado distrital Raad Massouh. Repito, apenas por ter reproduzido uma matéria conforme está no meu blog.

Para surpresa minha, uma pessoa que nunca vi na vida, entra na minha página e me agride com acusações infundadas, como no caso da tentativa do PT, de colocar mancha na minha vida publica, como foi o caso da empregada domestica. Na verdade, a pessoa citada na reportagem, trabalhava no gabinete parlamentar servindo cafezinhos e morava na minha casa, por uma questão de gratidão da família pelo que ela teria feito no período que trabalhou de babá de meu filho. Esse assunto foi explorado e ficou comprovado pela mídia e pelo inquérito que a denuncia era falsa e sem fundamento! Pois bem, até hoje, meus adversários por falta de algo consistente que manche a minha vida pública, requentam esse assunto, e vez por outra, lançam na mídia. Nada tenho a esconder, inclusive tenho as declarações da própria pessoa dizendo que nunca trabalhou como domestica em minha casa. Mas do que adianta! Se o estrago já tinha sido feito?

Portanto, volta e meia, aparece alguém e cita esse assunto, como se fosse verdadeiro! E ai essa criatura sem identificação no facebook, sem fotos para se mostrar, agride e não quer ser contestada.

No meu entender, é mais um fake usado nas redes sociais para atacar quem ataca o seu patrão. Ora, então eu posso ser chamado de ladrão e não posso reagir? Só por que sou político? E o que eu digo para os meus filhos? Quem cala não consente? Não é por que sou uma pessoa pública que tenho que aceitar ataques ofensivos a minha honra! Bateu injustamente? Tem resposta sim!

O ônus de ser publico só é meu? E o de quem acusa? Que se esconde no anonimato só para agredir os outros? Isso não conta?

Pois bem, quem quer respeito, precisa respeitar os outros! E se alguém agir como moleque, será tratado como moleque e assim por diante.

Agora, o fato da pessoa dizer que votou em mim e que não mais votaria, paciência. Isso não dá o direito de agredir a moral de outro, só por que é eleitora.

Para finalizar e que os leitores possam entender bem os fatos, a pessoa, coloca um nome e a bandeira do GDF no lugar da foto, e dentro da pagina, nada que identifica a pessoa, nenhuma foto, nenhum telefone, ou seja, anonimato total. Como sempre digo, bandidos, malfeitores, canalhas e cretinos, só agem na surdina, no anonimato, pois possuem como requesitos, a covardia , e a falta de caráter . E no meu entender, quem fala o que quer, pode ouvir o que não quer!

Alberto Fraga – Presidente do Democratas

COMPARTILHAR
Artigo anteriorA sobrevivência política do legislador no baixo clero
Próximo artigoBandeira certa
Consultor em Marketing Político; especialista em pesquisa de opinião pública; editor do Portal Conectado ao Poder; escreve a coluna On´s e Off´s, de segunda a sexta, no Jornal Alô Brasília; apresenta o programa Conectado ao Poder, aos sábados, das 6h às 8h, na Rádio 104,1 Metrópoles FM. É presidente da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*

code