Atraso na contabilidade pública

izalciO deputado brasiliense Izalci Lucas sugeriu  que o Governo Federal promova modificações urgentes na contabilidade pública do País para evitar mais desvios e irregularidades, em especial na prestação de serviços de infraestrutura. Para ele, a contabilidade brasileira no âmbito privado, já compete, em termos de qualidade, com a contabilidade internacional, mas não a área pública,

Na área privada, diz Izalci, todo fato contabilizado, aquele que provoca modificação no patrimônio,  é registrado, mesmo que o pagamento ainda não tenha sido feito. No serviço público os fatos contábeis só são contabilizados quando o pagamento é realizado.  “Hoje quando se faz o balanço de uma entidade pública, o que se vê ali não traduz a realidade”, revelou o Izalci.

O deputado também alertou para a falta de acompanhamento e fiscalização das obras e serviços públicos. Izalci considera que para se ter mais controle e evitar desvios e irregularidades, é necessário que as auditorias sejam feitas durante o andamento da obra ou da prestação de serviços, resultante de convênios, empréstimos ou ainda nas transferências relativas à estados e municípios. Hoje, diz Izalci, o Tribunal de Contas faz auditorias de obras realizadas há mais de dez anos. “Não dá para ficar liberando recursos para obra e só verificar anos depois se foi feita. Estão aí as denúncias sobre a ferrovia Norte-Sul que começou em 1987 e até agora não foi concluída, causando enormes prejuízos para a nação”, lamentou.

Fonte: Coluna do alto da torre

COMPARTILHAR
Artigo anteriorFraga diz que Arruda tem como voltar
Próximo artigoPrefeito que for cassado terá de pagar custo para fazer nova eleição
Consultor em Marketing Político; especialista em pesquisa de opinião pública; editor do Portal Conectado ao Poder; escreve a coluna On´s e Off´s, de segunda a sexta, no Jornal Alô Brasília; apresenta o programa Conectado ao Poder, aos sábados, das 6h às 8h, na Rádio 104,1 Metrópoles FM. É presidente da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*

code