Bolsonaro vai utilizar estudos técnicos para decidir sobre bagagens aéreas

Nesta quarta (29/5), o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) recomendou que o presidente da República, Jair Bolsonaro, vete o retorno da franquia mínima de bagagens até 23 quilos

(foto: Isac Nóbrega/PR)

Apesar de já ter declarado que seu “coração manda” manter a decisão do Congresso de proibir a cobrança por bagagens de até 23 kg em voos domésticos, o presidente Jair Bolsonaro se valerá de estudos técnicos para tomar a decisão final. A informação veio do porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, no briefing na noite desta quarta-feira (29/5).

O presidente esboça opiniões, mas ao decidir vale-se de estudos profundos e técnicos realizados pelas equipes e pelos órgãos responsáveis. Neste momento é prematuro discutir isso porque o próprio presidente não se debruçou para confirmar ou não o assunto tratado“, disse Barros.

 Nesta quarta, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) recomendou que o presidente da República, Jair Bolsonaro, vete o retorno da franquia mínima de bagagens até 23kg em voos domésticos.

Em ofício enviado à Casa Civil, o presidente do Cade, Alexandre Barreto, justificou que o artigo 2º do Projeto de Lei de Conversão (PLV) nº 6/2019 da Medida Provisória (MP) nº 863/2018 tem potencial de reduzir a competição do setor.

O prazo para o veto é de 15 dias úteis a partir do recebimento, sendo que o PLV foi aprovado pelo Senado em 22 de maio. 

Em viagem pra o Recife, Bolsonaro também afirmou que iria sancionar a medida da maneira como foi aprovada no Senado. “Vou sancionar, fica tranquilo aí. Afinal de contas, com aquela isenção da franquia da bagagem, meu coração manda sancionar, porque quando começou cobrar a bagagem, a passagem não caiu, não adiantou nada”, respondeu Bolsonaro ao ser questionado se vai sancionar a “MP das aéreas”.

Fonte: Correio Braziliense

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*

code