Campanha de Dilma será propositiva

joao santanaEm palestra para secretários de comunicação do PCdoB, João Santana, coordenador geral da campanha de Dilma Rousseff, vazou algumas estratégias que serão adotadas. Ele explicou, por exemplo, que o conceito de “mudança” está sendo manipulado pela oposição e por analistas da mídia. Explicou que, por trás do termo mudança, há vários filtros: econômico, social, político, partidário, atitudinais, oferta eleitoral.

Esta é a razão, disse Santana, pela qual analistas de mídia não entendem porque o eleitorado quer mudança e ao mesmo tempo diz “estar satisfeito com sua vida” e vota em Dilma.

“O sentimento de mudança é inerente à humanidade”, observou o publicitário. Todo mundo quer mudar, mesmo quem está bem.

Ao ser cobrado pelos participantes sobre se o governo pensa em incluir o tema da democratização da mídia na campanha, Santana ressalvou que não tem “legitimidade política” para responder a essa pergunta, mas admitiu que ficaria “surpreso” se o tema não entrasse, porque o entendimento “hegemônico” na cúpula, incluindo a própria presidenta, é que se trata de um assunto que precisa ser abordado. Lembrou que o ex-presidente tem falado cada vez mais nesse tema, e a própria presidenta já tem mencionado o assunto de vez em quando.

Santana explicou também que a recente propaganda do PT, que tanta polêmica gerou por explorar o sentimento do medo, não será o mote da campanha de Dilma. “Temos o que mostrar”, revelou o publicitário.

Os participantes cobraram fortemente que a campanha da presidenta seja mais próxima das ações espontâneas da internet. Uma das reclamações é a demora da campanha em responder a ataques que a militância identifica rapidamente na internet.

A precariedade da comunicação governamental também foi duramente criticada pelos participantes, tanto diretamente, em perguntas a João Santana, quanto nos bastidores, no café e no almoço. Santana admitiu que o governo falhou neste campo.

Ele assegurou que haverá mais proximidade entre a campanha central de Dilma e a militância na internet. “Temos uma militância na internet muito mais autêntica que a oposição”, lembrou Santana.

Fonte: Tijolaço

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*

code