Cidade Ocidental registra queda de quase 200% nos casos de dengue

Dados são do relatório do Núcleo de Endemias, referente às ações de 2018

A diminuição dos casos só foi possível através do trabalho conjunto entre Prefeitura, Secretaria de Saúde e a população.

O relatório anual do Núcleo Municipal de Endemias foi divulgado, apontando o trabalho de combate à dengue desenvolvido em Cidade Ocidental. O documento apresenta os dados das ações de prevenção e combate à doença durante o ano de 2018. Ele mostra uma diminuição de 196,08% nos casos confirmados de dengue em comparação com o ano de 2017.

Durante o ano passado foram confirmados 51 casos em toda a cidade. Em contraste, o ano de 2017 somou 151 casos. As principais causas do contágio, segundo relatório, continuam sendo a falta de cuidado com os criatórios do mosquito, recipientes que acumulam água parada e reservatórios de água sem a devida proteção. Ainda segundo o relatório, os focos de nascimento das larvas do mosquito Aedes Aegypti estão, em 90% dos casos verificados pela Secretaria de Saúde, dentro das residências. Por isso o trabalho dos agentes de endemias se concentra em visitas domiciliares feitas diariamente. Durante o ano de 2018, foram verificados mais de 107 mil imóveis, entre residenciais, comerciais, terrenos baldios, igrejas, escolas e órgãos públicos.

Para combater o mosquito os métodos mais eficientes continuam sendo usados: o trabalho de conscientização dos moradores, a eliminação de possíveis criatórios e as ações educativas nas escolas públicas e particulares do município. De acordo com informações da Secretaria de Saúde, este último tem sido um dos mais eficientes métodos de conscientização da população. “Quando uma criança chama a atenção de um adulto para um tema como esse, consegue sensibilizar muito mais”, explica Andréa Soares gerente municipal de endemias.

As atividades preventivas e as ações educativas são feitas pelo Setor de Informação, Educação e Comunicação (IEC), elas são desenvolvidas através de palestras que abrangem tanto a dengue como outras doenças epidemiológicas. Os profissionais atuam em escolas, igrejas, comércios e repartições públicas com palestrantes e agentes de endemias. Para o ano de 2019, o secretário de Saúde, Douglas Martinho, prevê a ampliação das ações de educação e esclarecimento da população, além de atividades pontuais nos bairros e no centro da cidade, com blitzes educativas e distribuição de materiais informativos. “A nossa intenção é baixar ainda mais os casos, mas para isso, precisamos da colaboração dos moradores em todos os níveis da sociedade”, alerta o secretário.

1º Mobilização Goiás Contra o Aedes Aegypti

Para deixar Cidade Ocidental ainda mais segura contra o mosquito Aedes Aegypti foi realizada uma força tarefa que conta com visita nas casas, conscientização da população, limpeza de terrenos e dentre outras ações.  As atividades ocorreram em vários pontos da cidade. O objetivo do trabalho é reforçar a guerra contra o mosquito transmissor da dengue, chikungunya, febre amarela e zika vírus no município. 

Mobilização de combate as endemias realizada na Cidade Ocidental durante o dia 31 de janeiro.
COMPARTILHAR
Artigo anteriorVídeo | Conectado ao Poder – 02/02/2019
Próximo artigoHermeto cria o primeiro Gabinete Militar da CLDF
Consultor em Marketing Político; especialista em pesquisa de opinião pública; editor do Portal Conectado ao Poder; escreve a coluna On´s e Off´s, de segunda a sexta, no Jornal Alô Brasília; apresenta o programa Conectado ao Poder, aos sábados, das 6h às 8h, na Rádio 104,1 Metrópoles FM. É presidente da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*

code