Cidade Ocidental toma medidas para conter a crise no abastecimento

A crise no abastecimento de água ou energia elétrica tem dado muita dor de cabeça ao ocidentalense. As quedas de energia, por exemplo,  costumavam ocorrer com mais frequência durante a época das chuvas. Porém, mesmo no calor que tem feito ultimamente, a luz teima em faltar mais de uma vez por dia. Na vespera do último feriado (11/09), por exemplo, a energia se foi às 18hs e apenas retornou após as 23h.

No caso do abastecimento de água, o caso é mais grave: condomínios e bairros inteiros sofrem com o desabastecimento constante, sem aviso prévio. Alguns anos atrás, executivos da Saneago, empresa que cuida do abastecimento em Goiás, afirmaram que o problema estava no Córrego Saia Velha, que abastece a cidade. Chacareiros e clubes estavam desviando a água para uso particular, prejudicando os moradores de Cidade Ocidental e que o problema seria sanado.

No começo de setembro, a Saneago, através de seu gerente local, Marivaldo Braz, divulgou nota à população avisando que o Saia Velha havia chegado ao nível crítico devido a utilização indevida do manancial, apesar da interligação de novos poços incluindo um na área da captação. Na ocasião, Marivaldo alertou: “quem não tem caixa de água em casa procure providenciar.” Como paliativo, Marivaldo revelou que em breve estaria interligando novos poços no Suleste, na curva da entrada do Mossoró e outro na entrada da Fazenda atrás do São Mateus.

CORUMBÁ IV
Enquanto isso, o Sistema Produtor Corumbá está previsto para ficar pronto em dezembro de 2018 e vai beneficiar cinco regiões administrativas do DF e mais quatro municípios goianos, entre eles, Cidade Ocidental. As obras na região de Santa Maria/DF estão bastante aceleradas. Entretanto, a água dificilmente começa a circular até dezembro do ano que vem, prazo dado pela Saneago para a conclusão do Sistema. As obras fazem parte de um consórcio entre os governos do Distrito Federal e de Goiás.

Já a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) controla a construção da Estação de Tratamento de Água, em Valparaíso (GO), e de 15,3 quilômetros de adutora de água bruta. Segundo o GDF, as obras atingiram 68% de execução.

O Distrito Federal passa pela mais crise hídrica de sua história onde as cidades já vivem em sistema de rodízio no fornecimento.

PROVIDÊNCIAS
Cabe à prefeitura a interlocução junto aos órgãos competentes no sentido de dirimir o sofrimento da população. Nesse sentido, o Prefeito Fábio Correa tem se empenhado ao máximo nesse papel, pois como morador, também sofre com o desabastecimento.

Em junho, Fábio Correa assinou, junto à Saneago, ordem de serviço que deu início à execução das obras referentes a ampliação do sistema de abastecimento de água do bairro Recreio Mossoró. As obras avançam naquele bairro sob a responsabilidade da Saneago.

Segundo Fábio Correa, embora a crise atinja todo o País: “precisamos fazer nossa parte que é economizar. E em qualquer situação que ver que ficou mais de um dia, procure a prefeitura ou vá à Saneago. Estou pronto para te atender para buscarmos uma solução”, disse o prefeito ao atender o morador Washington, do bairro Ocidental Park, na presença de um representante da Saneago, o senhor Wesley.

ENERGIA
As quedas de energia tem sido constantes em Cidade Ocidental. Nesse aspecto, vale ressaltar que temos a mesma subestação de energia desde a fundação da cidade, há 40 anos e já desde aquela época padecíamos com a falta de luz.

Em julho o Prefeito Fábio Correa reuniu-se com os diretores da CELG para solicitar a construção emergencial de uma subestação que atenda a demanda reprimida do município, que cresceu muito nos últimos anos, trazendo constantes sobrecargas ao sistema.

Em 16 de outubro, em reunião com prefeitos da AMAB – Associação dos Municípios Adjacentes a Brasília e os diretores da CELG, Fábio Correa reiterou a urgência em buscar soluções para a falta de energia. Como resultado, Humberto Eustáquio Tavares, Diretor de Relações Institucionais estará em Cidade Ocidental em breve para tratar especificamente das demandas do município.

Recentemente a CELG passou a fazer parte do Grupo ENEL, multinacional de energia presente em mais de 30 países e com atuação nos segmentos de distribuição, geração e soluções de energia.

Por André Brito

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here

*

code

Please enter your comment!