“Colocar ordem no DF é a minha missão”, disse o General Paulo Chagas

Por Sandro Gianelli

Colocar ordem no DF e a minha missao disse o General Paulo ChagasO pré-candidato a governador, General Paulo Chagas, concedeu entrevista para a Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno (ABBP). A Coluna On´s e Off´s trouxe um resumo das declarações.

Sabatina ABBP

A ABBP ouvirá todos os pré-candidatos ao Governo do Distrito Federal e realizará um debate durante as eleições com os candidatos que viabilizarem suas candidaturas rumo o Palácio do Buriti.

Imparcialidade

O projeto Sabatina ABBP está em sua 32ª edição. Durante os três anos do projeto, a ABBP agiu de forma imparcial ouvindo políticos da oposição, situação e de diversos partidos políticos, independente da ideologia.

Profissão militar

Filho de militar, carioca, entrou para o serviço militar aos 12 anos como aluno da Escola Militar, foi assistente do Ministro do Exército, trabalhou em Londres como adido militar e está em Brasília desde 2004. Sereno, passa credibilidade, tem firmeza, não enrola, quando não sabe ou não se sente preparado para responder ele não esconde.

Plano de governo

Durante a Sabatina ficou claro que ainda não houve tempo para montar o plano de governo, mas ele não embroma, afirma que seu grupo está trabalhando para apresentar as propostas para a população dentro das necessidades do povo, não se furtou a emitir opinião sobre nenhum tema. Se existe um muro ele não fica em cima, ele tem lado, atitude e pensamento definido.

Vida partidária

Sua primeira filiação foi no partido NOVO, a intenção era se candidatar à Câmara dos Deputados. Trocou o NOVO pelo PRB convencido que pode ser eleito governador do DF. Durante a Sabatina, e ao lado do presidente do PRP, afirmo que hoje (7/3) estará se filiando no PSL, partido de Bolsonaro.

Composição com o NOVO

Questionado sobre a possibilidade de uma composição com o NOVO afirmou que não existe está possibilidade, mas reconheceu que ele e o NOVO possuem princípios semelhantes.

Aliança com o DEM

Questionado sobre uma aliança com o deputado federal Alberto Fraga (DEM), afirmou que não conversou com o parlamentar sobre uma composição, tendo em vista a aproximação de ambos com o presidenciável Bolsonaro. Desconhece que tenha alguma conversa entre o Democratas e o PSL no Distrito Federal para a formação de uma coligação.

Reeleição

“Sou contrário à reeleição de todos os cargos no Executivo. A reeleição fez mal ao país. As relações entre o Executivo, Legislativo e o Judiciário se agravaram de forma negativa após a reeleição”.

Equipe de trabalho

“Ao chefe cabe a competência de usar a competência dos outros. Tenho que ter a competência de saber usar a competência dos outros. Quando se fala em gestão estratégica, a origem está nas forças armadas”.

Corrupção

“Não é possível uma pessoa ficar rica no serviço público. Se ficou rico é porque roubou”.

Forma de mudança

“A gente só muda as coisas se a sociedade mudar as pessoas que estão no poder. E isso cai nas eleições”.

Partido dos trabalhadores

“O grande serviço que o PT fez pelo Brasil foi colocar 14 milhões de desempregados na rua”.

Projeto de poder

“O PT tinha um projeto de poder. O que faltou foi o poder armado. O Legislativo foi comprado, o Judiciário absorvia os que poderiam ajudar e só faltou os militares”.

Comportamento do eleitor

“Houve um comportamento diferente nas eleições de 2016. Acredito que isso ocorra nas eleições de 2018”.

Funcionário público

“Minha intenção é prestigiar o funcionário público. Não posso imaginar que o funcionário público seja preguiçoso, vagabundo ou sem compromisso com o serviço. Tenho certeza de que encontrarei bons servidores públicos”.

Planejamento

“Estamos preparando um plano de governo com cinco prioridades: saúde, educação, segurança, mobilidade e manutenção da cidade. Esse planejamento ainda está sendo estudado”.

Manutenção da cidade

“Deus não é brasileiro, Deus é brasiliense. Precisamos ter certeza de que a torre não irá cair e que não teremos mais viadutos caindo no Distrito Federal”.

Sindicatos

“Não sou muito simpático aos sindicatos mais entendo o papel deles. Tratarei com os sindicatos com transparência e a Lei. Não podemos ter medo de aplicar a Lei. Não admito que o patrimônio público seja destruído. Numa manifestação o vandalismo será tratado com a força da Lei”.

Segundo turno

“Num segundo turno entre Rollemberg e Frejat eu apoiaria o Frejat. Em outro cenário para o segundo turno eu teria que estudar os candidatos, mas espero estar no segundo turno e votar em mim”.

Hipocrisia

“Nós últimos anos houve um desrespeito ao povo do DF. Quem não estava no projeto de poder, estava omisso por estar mamando nas tetas do governo”.

Invasão

“O Estado não pode ser incompetente em deixar as pessoas invadirem área pública e depois demolir as residências”.

Eleição de administrador

“Sou contra a eleição de administradores. Se tiver administrador temos que ter uma Assembleia”.

Educação

“A Escola não tem nada a ver com a opção sexual das pessoas. O que não pode haver na escola é o Bullying”.

* A Coluna é escrita por Sandro Gianelli e publicada de segunda a sexta no Portal Conectado ao Poder, no Jornal Alô Brasília e no Portal Alô Brasília

7d3

COMPARTILHAR
Artigo anteriorMP Eleitoral pede ao TSE retirada de outdoors de apoio a Bolsonaro
Próximo artigoLei garante segurança para as crianças nos parques infantis
Consultor em Marketing Político; especialista em pesquisa de opinião pública; editor do Portal Conectado ao Poder; escreve a coluna On´s e Off´s, de segunda a sexta, no Jornal Alô Brasília; apresenta o programa Conectado ao Poder, aos sábados, das 6h às 8h, na Rádio 104,1 Metrópoles FM. É presidente da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here

*

code

Please enter your comment!