índiceWladimir Costa assumiu nesta quarta e deve ficar seis meses no cargo. Rede tem 30% do mercado e é suspeita de integrar cartel de combustíveis.

Um dia após um interventor assumir o comando da rede Cascol, o litro da gasolina ficou R$ 0,02 mais barato em postos do Distrito Federal. O preço médio passou de R$ 3,85 para R$ 3,83. O grupo é detentor de 30% do mercado e é suspeito de integrar um cartel que atuava para aumentar o preço do combustível.

Na 208 Norte, por exemplo, há um posto que tem a gasolina com o mesmo valor indicado pela pesquisa da Agência Nacional do Petróleo (ANP) na semana passada: R$ 3,83. Em outro, na 203, o litro já sai mais barato.

A Cascol chegou a alegar que a intervenção poderia “comprometer a saúde financeira do grupo”, mas o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) manteve a decisão. A decisão ocorreu após operação da Polícia Federal que apontou a existência de um cartel no DF e no Entorno há pelo menos 20 anos. Wladimir Eustáquio Costa vai permanecer na rede por seis meses.

Costa foi diretor de marketing da Chevron Texaco e também responsável pela companhia em Curitiba, Goiânia, Rio de Janeiro e São Paulo. Com mais de 30 anos de experiência no setor, ele foi escolhido em meio a cinco nomes indicados pela própria Cascol para gerir todos os postos da empresa. O tempo de gestão pode ser prorrogado até a conclusão do processo que investiga o suposto cartel.

Postos em clubes
Os dois postos de combustíveis inaugurados recentemente na área interna de clubes do Distrito Federal, com atendimento exclusivo para associados das instituições, não pediram permissão ao governo para construir e para operar nos locais. A Secretaria de Gestão do Território e Habitação do DF afirmou ao G1 que nenhuma das edificações passou pela Central de Aprovação de Projetos (CAP), procedimento que seria obrigatório.

A reportagem entrou em contato com o Minas Tênis Clube e com a empresa terceirizada que administra as bombas de combustível, mas os representantes não quiseram se posicionar sobre o assunto. A reportagem também entrou em contato com o administrador do clube Cresspom, mas não obteve retorno até a publicação deste texto.

Os postos recém-inaugurados no setores de clubes Norte e Sul não dependem da legislação mais recente e já eram permitidos desde o governo Agnelo Queiroz. Em 2013, o Instituto Brasília Ambiental (Ibram) emitiu uma instrução normativa que dispensou o licenciamento ambiental para bombas e tubulações aéreas com capacidade de até 15 mil litros.

Os postos recém-inaugurados no setores de clubes Norte e Sul não dependem da legislação mais recente e já eram permitidos desde o governo Agnelo Queiroz. Em 2013, o Instituto Brasília Ambiental (Ibram) emitiu uma instrução normativa que dispensou o licenciamento ambiental para bombas e tubulações aéreas com capacidade de até 15 mil litros.

No início do mês, o Ibram visitou os dois clubes e atestou que as instalações estão dentro das normas ambientais previstas. Segundo o órgão, isso não significa que os empresários estejam dispensados de atender ao Código de Edificações e de submeter os projetos à CAP.

Sem aprovação do projeto arquitetônico, sem alvará de construção e sem alvará de funcionamento, os postos estão sujeitos a sanções da Agefis. O órgão informou que “enviará um auditor ao local para verificar a documentação e tomar as providências necessárias para o cumprimento da legislação vigente”.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui