Conheça o ranking de avaliação dos senadores e deputados do DF

Por Sandro Gianelli

Ranking dos políticos

O site politicos.org.br organizou um ranking comparativo entre os políticos do Congresso Nacional. A avaliação classifica senadores e deputados federais. Os critérios contam com presença nas sessões, gastos da cota parlamentar, processos judiciais e qualidade legislativa.

Avaliação do eleitor

O ranking avaliou também a formação acadêmica e a quantidade de partidos que cada político foi filiado. Saiba se seu voto está sendo valorizado. E mais: fiscalize, cobre, compare, mas antes eu quero saber se você se lembra em quem votou na eleição passada? Lembra? Se não, sinto informar que você foi reprovado na avaliação de eleitor participativo.

Erika Kokay, deputada federal e presidente do PT-DF
Erika Kokay, deputada federal e presidente do PT-DF

Última posição

Vamos deixar de conversa e ir direto ao ponto. Na última colocação (11ª colocada) ficou a deputada federal Erika Kokay. A presidente do PT do DF obteve uma pontuação negativa. Foram 280 pontos. O que mais pegou contra a parlamentar foi a qualidade legislativa. Kokay ficou com 300 pontos negativos, seguido de 60 pontos negativos no quesito processos judiciais. Deu ruim para a parlamentar, que apesar de ser a última no ranking do DF e a 563ª no ranking nacional, tem presença marcante na Câmara dos Deputados.

Processos judiciais

Já o deputado federal Roney Nemer (PP) ficou na penúltima colocação, 10º no ranking dos parlamentares do DF. O que mais pegou para o deputado foram os processos judiciais. Sua pontuação geral somou apenas 9 pontos, pelo menos foram positivos. No ranking nacional, Roney é o 438º parlamentar.

É sério isso?

Na nona posição temos o senador Cristovam Buarque (PPS). Como assim? O Cristovam da Educação. O Cristovam do Brasil. Não, vamos revisar essa avaliação agora mesmo. É isso mesmo! O professor Cristovam pecou no quesito presença nas sessões e ficou com nota negativa de 26 pontos. No geral, ficou com 142 pontos. Em nível nacional ficou na 328ª posição.

Tá na média

O oitavo colocado é o deputado Augusto Carvalho (SD), que somou 197 pontos. O único quesito negativo foi em relação a filiação partidária em sua vida pública. Isso rendeu uma pontuação negativa de 5 pontos. No ranking nacional, Augusto ficou na 274ª posição.

Infiel

O senador Hélio José (Pros) ocupa a sétima posição em nível local e a 237ª posição em nível nacional. Hélio somou 228 pontos. Pesou contra o senador o histórico de infidelidade partidária. Quesito que lhe rendeu 25 pontos negativos.

Processos judiciais

Agora chega um estreante no Congresso Nacional. É o deputado federal Rogério Rosso (PSD). Rosso chegou chegando, emplacou dois anos como líder da bancada do PSD na Câmara e foi o presidente da comissão do impeachment da presidente Dilma Rousseff. No ranking local ele é o sexto colocado, no nacional ficou na 224ª posição. Somou 238 pontos, pesando contra ele os processos judiciais que responde, foram 60 pontos negativos.

Ganhou no empate

O quinto colocado é um veterano. Alberto Fraga (DEM) está no quarto mandato na Câmara dos Deputados. Em nível nacional ficou na 223ª posição, somando 238 pontos. Empatado com Rosso. Creio que a idade ou a quantidade de mandatos tenha colocado Fraga na frente. Contra Fraga somaram 100 pontos negativos relacionados aos processos judiciais, já no quesito qualidade legislativa ficou com 330 pontos.

Passou o trator

Laerte Bessa (PR) mandou mal nas urnas. Só foi eleito graças a votação de Fraga, que foi o mais votado e puxou Bessa. E daí? Bessa não quis nem saber e passou o trator por cima de Fraga. Ganhou de Fraga, por uma posição e ficou como o quarto colocado no ranking do DF, no ranking nacional ficou na 108ª posição, no final somou 338 pontos, oito a mais do que Fraga. Mandou bem! Na briga entre PM e Civil, o delegado Bessa levou a melhor.

Comendo pelas beiradas

O deputado federal Ronaldo Fonseca (Podemos) é o terceiro no DF. Em nível de Brasil ficou na 83ª posição. Sua única avaliação negativa foi em relação a fidelidade partidária. Fonseca somou 362 pontos.

Lacrou

Agora a segunda posição é emblemática. O campeão histórico de votos para o senado. O único parlamentar do DF que continua sem partido. Claro que estou falando de José Antônio Machado Reguffe. Falem bem, ou falem mal ele é avaliado como o segundo melhor parlamentar do DF no ranking. Em nível nacional tem que trabalhar mais um pouco. Ficou na 78ª posição com 365 pontos e nenhuma avaliação negativa. A turma dos majoritários podem dormir tranquilos, sem filiação, Reguffe não poderá se candidatar ao GDF em 2018. Colher de chá para todos, mas daqui quatro anos podemos ter Reguffe para o governo. A chance é agora. Fica a dica!

O olhar de quem não vê ninguém no retrovisor
O olhar de quem não vê ninguém no retrovisor

Campeão isolado

Na primeira colocação temos o homem do lápis. Izalci Lucas (PSDB). Izalci é o primeiro no raking dos políticos do DF e ocupa a 27ª posição em nível nacional num universo que soma entre senadores e deputados 594 políticos. O quesito que levou Izalci para o topo foi a qualidade legislativa de seu mandato, um total de 480 pontos. Apesar da primeira posição, pesou contra ele uma pontuação negativa de 50 pontos relacionada a processos judiciais.

* A Coluna é escrita por Sandro Gianelli e publicada de segunda a sexta no Portal Conectado ao Poder, no Jornal Alô Brasília e no Portal Alô Brasília

16d4

COMPARTILHAR
Artigo anteriorVídeo | Conectado ao Poder – 14/04/2018
Próximo artigoCeilândia: Sem conscientização política quem sofre é a região
Consultor em Marketing Político; especialista em pesquisa de opinião pública; editor do Portal Conectado ao Poder; escreve a coluna On´s e Off´s, de segunda a sexta, no Jornal Alô Brasília; apresenta o programa Conectado ao Poder, aos sábados, das 6h às 8h, na Rádio 104,1 Metrópoles FM. É presidente da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*

code