Dilma recebe parlamentares para rearticular base

reuniao-do-palacio-com-a-base-aliada-do-senado-federal-igo-estrela3Depois de prometer à cúpula do PMDB que vai se reunir mensalmente com a base governista, na noite da última segunda-feira, a presidente Dilma Rousseff se reuniu hoje (4) com líderes dos partidos aliados no Senado e na Câmara. Na pauta, a “rearticulação” dos partidos aliados no Congresso Nacional.

A chefe do Executivo sofreu derrotas seguidas no Legislativo desde o início do seu segundo mandato. Enfraquecido e sem apoio dos próprios aliados, o governo precisa se reaproximar dos parlamentares já que os problemas políticos têm afetado negativamente a economia. O último embate entre Executivo e Legislativo foi nesta terça-feira (3), quando o presidente do Congresso Nacional, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), devolveu ao governo a Medida Provisória 669/15 que trata da desoneração da folha de pagamento das empresas.

O ministro de Relações Institucionais, Pepe Vargas, reconheceu que é muito importante que a própria presidente ouça a base e disse que, no encontro, foram discutidas várias propostas, como as novas regras para o programa Minha Casa, Minha Vida, investimentos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e questões macroeconômicas. Também fizeram parte da agenda os ajustes que o governo vem fazendo para retomar o crescimento econômico. “Assumimos o compromisso de discutirmos em reuniões mensais com os líderes algumas medidas”, exceto, segundo ele, “medidas que não tenham impacto maior na economia, ligadas ao sistema financeiro, que eventualmente tem de ser tomadas e implementadas sem aviso
prévio”.

“Renan não é adversário”

Responsável pela articulação política do governo, Vargas disse que buscará dialogar mais com o senador e que ainda o considera um aliado confiável. “Vamos dialogar com ele. Ainda não liguei para ele, porque estive envolvido em reuniões nesta manhã, mas devo ligar agora à tarde. Foi uma divergência quanto ao procedimento. Ele faz parte de um partido da base e não o consideramos um adversário, mas um presidente do Senado e um parlamentar que faz parte do partido do vice-presidente da República”. Segundo Pepe Vargas, foi o senador Romero Jucá (PMDB-RR) que telefonouo e deu o alerta sobre o movimento de Renan Calheiros.

De acordo com o líder governista na Câmara, José Guimarães (PT-CE), “a presidente fez um balanço da conjuntura do país, da necessidade dos ajustes (econômicos) e todos os líderes declararam a necessidade de apoio e de votação”, contou. Disse também que Dilma considera os encontros mensais como “foros essenciais para estabilizar a relação política na Câmara” e adiantou que, eventualmente, se achar necessário, a presidente poderá convocar uma reunião quinzenal para ouvir ministros e parlamentares aliados.

O petista cearense negou que os deputados tenham tratado sobre Renan Calheiros. “Não fomos entrar no mérito das razões que levaram o presidente do Senado a devolver a MP. Agora vamos trabalhar para garantir a discussão e a aprovação do projeto de lei de urgência constitucional”, avisou.

Fonte: Fato Online

COMPARTILHAR
Artigo anteriorGDF paga salários de fevereiro até sexta-feira
Próximo artigoEm mensagem enviada aos colegas do MPF, Janot desabafa e pede união
Consultor em Marketing Político; especialista em pesquisa de opinião pública; editor do Portal Conectado ao Poder; escreve a coluna On´s e Off´s, de segunda a sexta, no Jornal Alô Brasília; apresenta o programa Conectado ao Poder, aos sábados, das 6h às 8h, na Rádio 104,1 Metrópoles FM. É presidente da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here

*

code

Please enter your comment!