Distritais definem com novo líder as condições para fechar acordo

20150318011354O Grupo dos Sete, formado por distritais do PMDB, PP, PTB, PTN e PR, vai se reunir novamente com membros do Executivo e o líder do governo na Câmara Legislativa, Júlio César (PRB), nos próximos dias, para definir as condições em que ingressará na base governista. Os deputados pedem maior participação nas decisões da nova gestão, mas não descartam ganhar cargos dentro da estrutura do GDF.

De acordo com Júlio César, o trabalho de aproximação com os distritais considerados independentes está sendo feito com a participação direta do governador Rodrigo Rollemberg, que se reuniu com o Grupo dos Sete na  segunda-feira, no Palácio do Buriti.

“Tivemos uma boa conversa e ficou a meu cargo entrar em entendimento com os deputados e ouvir as necessidades de cada um. Acredito que em pouco tempo eles estarão fazendo parte da base do governo”, afirma o líder, que acredita ter hoje 15 distritais na base, mesmo com Bispo Renato Andrade (PR) e Rodrigo Delmasso (PTN), do grupo original, entre os independentes.

Em 20 dias

Júlio César diz que não há previsão de data para a reunião, mas acredita que a situação deve se resolver nos próximos 20 dias. “Na Câmara Legislativa, independente de quem é base ou não, os deputados votarão a favor dos projetos do governo se forem bons para a cidade, como ocorreu com o Refis, que teve 23 votos. O importante é que o  governo tem mantido o diálogo com a Casa”, declara Júlio.

Membro do Grupo dos Sete, Bispo Renato afirma que o objetivo dos parlamentares não é buscar cargos, apesar de não descartar a possibilidade de receberem mais espaço, mas de participar de forma direta das decisões do Executivo.

“Queremos tomar conhecimento de projetos do governo antes que eles cheguem para a votação. Cargos fazem parte, mas o que queremos é participar das decisões do governo”, diz Bispo Renato.

Meta é ampliar influência

Bispo Renato Andrade afirma que os parlamentares do Grupo dos Sete, que estiveram na reunião com o governador Rodrigo Rollemberg, no Buriti, propuseram-lhe que retire dos órgãos e administrações regionais todos os indicados por deputados. O objetivo é acabar com dependência de ambos os lados para a aprovação de projetos.

“Nós sugerimos ao governo acabar com todos os cargos, inclusive os de deputados que já indicaram. Acreditamos que indicações como a de administradores e cargos de maior importância têm que ser de escolha do governador”, declara Renato Andrade, que completa: “O governador disse que quer fazer uma política diferente, sem loteamento de cargos com nome de indicados, e  queremos apoiar isso”.

Áreas estratégicas

O líder do governo, Júlio César, afirma que nas primeiras conversas realizada com o Grupo dos Sete, o pedido dos parlamentares foi para  opinarem em áreas estratégicas do governo, como a segurança, que conta com distritais saídos das fileiras da Polícia Civil,  casos do deputados Doutor Michel (PP) e Wellington Luiz (PMDB), e na área da saúde, alvo ontem do distrital Rodrigo Delmasso, que  apresentou estudo ao Executivo sobre a situação da pasta.

De acordo com o Bispo Renato, o trabalho dele dentro do Grupo dos Sete tem sido articular e defender não apenas os membros do grupo, mas dos demais distritais.

“Muitos deputados vão à tribuna para discursar; o meu papel é articular para dar respeito aos deputados”, afirma o deputado, que cobra do governo maior participação da população, como prometido durante a campanha: “Onde está a participação do povo com as rodas de conversas? O governo precisa ouvi-la em matérias complexas”.

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*

code