Fila e problemas no sistema marcam o primeiro dia do Refis

fila-e-problemas-no-sistema-marcam-o-primeiro-dia-do-refisComeçou, hoje (18), a partir das 7h30, no Centro de Convenções Ulisses Guimarães, o atendimento de diversos órgãos do Governo do Distrito Federal (GDF), para negociação de dívidas de débitos tributários com o GDF. Mas, por problemas no início do primeiro dia de atendimento, somente as negociações com pagamento à vista estão sendo atendidas. Segundo a Secretaria de Fazenda o atendimento será normalizado a partir de amanhã. As negociações continuam até a próxima segunda-feira (23), com atendimento no sábado e domingo, sempre de 7h30 às 19h30, sem interrupção.

Dívidas de pequenos empresários e de cidadãos comuns com ICMS, ISS, IPVA, IPTU, Simples Candango e outros tributos poderão ser negociados. No caso de multas do Detran-DF, o pagamento será feito somente à vista, porém dívidas com a Secretaria de Fazenda, Tribunal de Justiça do DF e Procuradoria Geral do DF poderão ser negociadas nas agências de atendimento até junho 2015. O objetivo do mutirão é negociar débitos originados até 2014, com descontos nos juros e nas multas de até 99%. Após a negociação das dívidas é emitido um boleto bancário, na mesma hora

O mutirão também atende a débitos, que já tramitam na Justiça. O Programa de Incentivo à Regularização Fiscal (Refis), foi aprovado pela Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), no último dia 12.

Reclamações

A principal reclamação das pessoas que aguardavam na fila era a falta de informação, por exemplo; que o atendimento não iria atingir quem pretendia fazer o parcelamento. Ana Lúcia Sampaio, dona de casa, pretendia negociar o IPTU, e havia acabado de chegar, mas já pensava em desistir por conta do tamanho da fila. “Acabei de chegar, mas estou com meu filho internato, aí estou desistindo já. Não sabia que hoje não poderia negociar a prazo”, lamentou.

Maria Conceição Gomes, aposentada, foi outra que saiu chateada depois de esperar na fila e não poder parcelar sua dívida. “Ninguém sabe. Não sei quanto vai dar o meu IPTU, por isso, tenho que parcelar. Acho errado eles não darem informação”, destacou.

LegendaFoto: Sheyla Leal/Obritonews/fato

Depois de permanecer três horas sem ser atendido, Afonso Carneiro, 74, que é deficiente visual, desistiu de esperar. “Tenho preferência e não fui atendido. Vou tentar voltar outro dia”, reclamou.

Cleusa Borges, que também aguardava na fila, denunciou a venda  de senhas. “Um rapaz de roupa vermelha oferecia por R$10,00. Mas o crime maior, é ele dizer, eu ponho vocês pra dentro e por mesmo”, reclamava revoltada.

Atraso

Sobre o atraso no atendimento e a longa fila que se formou no local, a assessoria afirmou que foi desenvolvido um sistema específico para esse atendimento, mas a tecnologia apresentou problemas e o atendimento só começou por volta das 10h30. Cada atendimento está durando em média dez minutos, dependendo do tipo de negociação ou pendência.

Fonte: Fato Online

COMPARTILHAR
Artigo anteriorEdberto não é Cid e os distritais não são como os deputados federais
Próximo artigoGoverno Agnelo: Culpa da comunicação ou da gestão?
Consultor em Marketing Político; especialista em pesquisa de opinião pública; editor do Portal Conectado ao Poder; escreve a coluna On´s e Off´s, de segunda a sexta, no Jornal Alô Brasília; apresenta o programa Conectado ao Poder, aos sábados, das 6h às 8h, na Rádio 104,1 Metrópoles FM. É presidente da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*

code