Lava-jatos ficarão proibidos de utilizar água nas lavagens

Projeto de lei aprovado estabelece a utilização de produtos biodegradáveis na prestação dos serviços. Para entrar em vigor, medida aguarda ser sancionada.

A Câmara Legislativa aprovou em dois turnos ontem (18/12), um projeto de lei que obriga os lava-jatos do DF a adotarem modelos ecológicos, sem utilização de água. Segundo o projeto, as empresas devem utilizar produtos biodegradáveis, que não causem danos ao meio ambiente. O projeto, de autoria da Deputada Luzia de Paula, agora segue para sanção do Governador Rodrigo Rollemberg.

No DF, a Lavô saiu na frente e desde março começou a empregar uma solução sustentável para lavar os veículos. O empresário Ricardo Pereira criou um aplicativo que, além de ir até o cliente onde e quando ele desejar, aboliu o uso da água. “Utilizamos uma cera de carnaúba líquida, certificada ecologicamente, que age sobre a sujeira, desfragmentando-a e facilitando a remoção, sem arranhar o veículo ou deixar qualquer resíduo”, destaca o empresário.

Para ele, o projeto da deputada é mais do que importante, mas essencial para a cidade que vive um momento de escassez de recursos hídricos, inclusive sofrendo com racionamentos e constantes faltas. “Para se lavar um carro são necessários 300 litros de água. Isto é o suficiente para quase 3 pessoas utilizarem para sua higiene diária e consumo. Precisamos mudar nossos hábitos e adotar de fato medidas que evitem o desperdício”, comenta Ricardo.

Apesar de não usar água, a cera é bastante eficaz no processo de limpeza. O processo consegue remover manchas, piche de asfalto e até cimento da lataria, sem danificar e ainda deixá-la brilhante. Os preços variam de R$ 30 a R$ 145, dependendo do pacote escolhido.

Lavô

A empresa trouxe a lavagem de carros para a era dos aplicativos. Com a Lavô, é possível solicitar uma lavagem pelo celular, pagar com cartão de débito o crédito, sem precisar se deslocar ou esperar em filas. O serviço oferecido pela empresa é ecológico, pois não utiliza água. A empresa já presta atendimento em outras cidades brasileiras.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorParlamento argentino aprova polêmica reforma da Previdência
Próximo artigoProjeto prevê pavimentação ecológica das vias do DF
Consultor em Marketing Político; especialista em pesquisa de opinião pública; editor do Portal Conectado ao Poder; escreve a coluna On´s e Off´s, de segunda a sexta, no Jornal Alô Brasília; apresenta o programa Conectado ao Poder, aos sábados, das 6h às 8h, na Rádio 104,1 Metrópoles FM. É presidente da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*

code