Lula recorre ao STF para impedir que força-tarefa da Lava Jato investigue sítio e triplex

lula11-840x560Segundo a defesa do ex-presidente, as apurações deveriam ser conduzida somente pelo Ministério Público de São Paulo (MP-SP).

Os advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva protocolaram um recurso — conhecido como agravo regimental — contra a decisão da ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), que permite que as investigações sobre o ex-presidente sejam conduzidas pelo Ministério Público de São Paulo (MP-SP) e pelo Ministério Público Federal (MPF)

Na ação protocolada no STF, o ex-presidente defende que as investigações relativas ao tríplex no Guarujá (SP) e no sítio de Atibaia (SP) devem ser conduzidas por um Ministério Público regional – tirando de cena, assim, a força-tarefa da Lava Jato, ligada ao MPF.

Atualmente, segundo o entendimento da ministra Rosa Weber, os dois membros do Ministério Público apuram as denúncias da “mesma realidade sob perspectivas diferentes”.

Em nota divulgada no site do Instituto Lula, os advogados do ex-presidente, Roberto Teixeira e Cristiano Zanin Martins, explicam os motivos que os levaram a entrar com o recurso.

Para eles, “não pode existir atribuição presumida do MPF do Paraná/’Força-Tarefa Lava Jato’ ou competência presumida da 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba apenas pelo fato de as investigações relativas a tais imóveis poderem envolver pessoas que foram investigadas ou são rés no âmbito da chamada ‘Operação Lava Jato’”.

Por fim, Teixeira e Martins negam qualquer relação entre os imóveis e a operação Lava Jato. “Mesmo que por absurdo fosse possível estabelecer qualquer relação entre tais imóveis e qualquer suposto desvio no âmbito da Petrobras — e sobre isso não foi apontado nenhum elemento concreto investigação, segundo a jurisprudência pacífica do STF, deveria ocorrer no âmbito estadual”, argumentam.

Informações
Segundo informações do G1, a defesa do ex-presidente também pediu ao juiz Sérgio Moro a lista de todos os processos em nome de Lula que correm na 13ª Vara Criminal de Curitiba.

Fonte: Metrópoles

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*

code