Marina não será candidata pela capital

marina-silvaEstimulada pelas pesquisas que lhe dão 18% das intenções de voto em eleição presidencial, mesmo estando há dois anos fora da mídia, a ex-senadora Marina Silva (foto) já tomou decisões para o futuro. Não transferirá seu título de eleitor, hoje no Acre, mesmo tendo residência em Brasília. Isso significa que só será candidata a um cargo, a presidência da República. Nada de disputar o Buriti ou uma cadeira no Senado pelo Distrito Federal, apesar de ser na capital que ela alcança os índices mais elevados. Marina também resolveu que o partido a ser criado por ela não apoiará, em hipótese alguma, o atual governo brasiliense.

Só três nomes em Brasília

Nos contatos feitos até agora, Marina tem se mostrado dura, intransigente até, na escolha de nomes para o novo partido. Pelo que já sinalizou, no Distrito Federal só aceitaria conviver com os deputados José Antônio Reguffe, Chico Leite e Joe Valle. Isso não significa, é claro, que qualquer um deles possa ser dado como aquisição certa. Todos eles terão cálculos eleitorais a fazer. Nas condições atuais, pode ser preferível — para os três — permanecerem onde estão.

Bases em todo o País

Ainda não se conhece sequer o nome do partido a ser criado por Marina. O núcleo, claro, será o seu Movimento Nova Política, mas nem os interlocutores da ex-senadora em Brasília sabem como o partido se chamará. Acham, porém, que não será difícil obter as 540 mil assinaturas indispensáveis, pois Marina conta com deputados estaduais e vereadores em todas as unidades da Federação.

Coordenação multipartidária

A ex-senadora preocupou-se em criar uma coordenação originária de múltiplos partidos, evitando assim dar à nova legenda a conotação de dissidência de partido maior, do PT, por exemplo. As figuras mais próximas a ela são, hoje, o secretário paulista Walter Feldmann, ex-deputado tucano, os deputados federais Domingos Dutra e Alessandro Molon, ambos petistas, e o também deputado brasiliense José Antônio Reguffe, do PDT.

Heloísa Helena de malas feitas

Marina Silva conta com adesões no PSOL. Aliás, deverá levar as duas figuras mais conhecidas do partido. A atual vereadora Heloísa Helena, ela própria ex-candidata presidencial, deverá disputar o Senado pelo Rio de Janeiro. E o senador Randolfe Rodrigues, do Amapá, também tem conversado com Marina.

Fonte: Do alto da torre – 8/1/2013

COMPARTILHAR
Artigo anteriorO telefone como mídia II: Para quem ligar?
Próximo artigoNota Legal: OAB ajuiza ação contra decreto do GDF
Consultor em Marketing Político; especialista em pesquisa de opinião pública; editor do Portal Conectado ao Poder; escreve a coluna On´s e Off´s, de segunda a sexta, no Jornal Alô Brasília; apresenta o programa Conectado ao Poder, aos sábados, das 6h às 8h, na Rádio 104,1 Metrópoles FM. É presidente da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*

code