dokaA cada dia os mecanismos de apuração de irregularidades na gestão pública, tornam-se ágeis e rigorosos. Prefeitos então são os mais penalizados, muitos por desconhecimento da complexa burocracia, outros por má gestão. Mais um caso de gestão temerária veio a tona na semana passada. Desta vez foi em Novo Gama, onde o Ministério Público de Goiás, por meio da promotora de Justiça, Cláudia Gomes, propôs ação civil pública contra o ex-prefeito do município João de Assis Pacífico Doka, e o ex-gestor do Regime Próprio de Previdência Social (RPPS) Edgar José Gomes, pela prática de ato de improbidade.

De acordo com a ação, os dois desviaram recursos do RPPS por meio de transferência financeira da conta do Fundo de Previdência do Município de Novo Gama para a conta da prefeitura.

A promotora relata que ficou constatado que, do valor de R$ 5.691.000,00 transferido, somente foram devolvidos R$ 3.981.000,00, subsistindo ainda, em outubro de 2011, o valor de R$ 1.710.000,00 a ser devolvido ao Fundo. (Com informações da Ascom do MP).

Fonte: Jornal Opção

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui