Novo Gama tem merenda escolar com padrão de excelência

A rede municipal de ensino de Novo Gama se destacou entre as demais, pela qualidade da merenda oferecida aos alunos

Ao todo, mais de 10.583 estudantes desfrutam agora de um cardápio equilibrado e saudável. A merenda ofertada conta com a certificação de órgãos fiscalizadores que aprovaram tanto a procedência dos alimentos, vindos prioritariamente da agricultura familiar e de produção orgânica, bem como do modo de preparo. Este que é realizado de acordo com as normas estabelecidas pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação – FNDE, junto ao Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE.

Alcançar esses objetivos só foi possível devido o engajamento da gestão atual em investir de forma ativa na alimentação dos estudantes. O município aplicou mais de 60% da verba federal para a agricultura familiar, atendendo assim os requisitos do PNAE, que obriga os municípios brasileiros a adquirir no mínimo 30% dos produtos junto aos pequenos produtores e alimentos de qualidade. Com isso conseguiu melhorar a alimentação escolar, e posteriormente investiu na capacitação das mais de 130 merendeiras da rede de ensino municipal – proporcionando aos estudantes uma merenda com uma boa avaliação nutricional. Todo este trabalho foi feito em conjunto com o Conselho de Alimentação Escolar do Município.

Conforme a secretária municipal de educação, Maria da Guia Nobrega, o investimento era mais que necessário, e a partir dele foi possível ver as melhorias e o engajamento de professores, alunos e demais profissionais da área. “Desde o ano passado que a gente vem trabalhando para melhorar a alimentação dos nossos estudantes. Implementando novos alimentos, oriundos da agricultura familiar da região e investindo também na capacitação das merendeiras”, afirma a secretária. Vale ressaltar que o trabalho é feito em conjunto com a comunidade escolar e o Conselho de Alimentação Escolar do município, todos participando ativamente.

Lícia Carla Valois, diretora da Escola Municipal Manoel de Soares Filho destaca o quanto a merenda foi bem recebida na escola em que trabalha, tanto por alunos, como por professores, merendeiras e alunos. “A merenda escolar foi muito bem recebida e aceita pelos nossos alunos principalmente. No início eles tinham um certo receio, porque alguns alunos não consumiam verduras e legumes. Mas com o incentivo tanto dos professores como merendeiras, e pelo incentivo dos colegas muitos passaram a comer”, comenta Lícia.

Merendeiras participaram de concurso para eleger a melhor merenda do município.

Alimentos mais fresco, direto do campo para as mãos das merendeiras. “Com a implementação da participação da agricultura familiar as nossas merendeiras recebem o alimento muito mais fresco, as folhagens chegam mais bonitas e sem defeitos e pragas. E tudo isso possibilita para que elas façam uma refeição para as nossas crianças ainda mais saborosas”, comenta a diretora Lícia, que também é vice-presidente do Conselho de Alimentação Escolar do município.

Para envolver mais ainda a comunidade escolar e a população, a prefeitura e a Secretaria Municipal de Educação premiou as melhores receitas feitas pelas merendeiras a partir da utilização dos alimentos produzidos por agricultores da região. As cinco melhores foram inclusas no cardápio escolar de 2019 – e as dezesseis melhores irão compor um livro de receitas a ser desenvolvido pela secretaria.

Mais de 130 merendeiras do município, durante quatro meses puderam compreender melhor as mudanças feitas para que a merenda alcançasse o padrão de excelência – atendendo assim os requisitos do PNAE. Uma das metas do programa é garantir aos estudantes uma refeição diária com aproximadamente 350 quilocalorias (Kcal) e 9 gramas de proteínas. Desta forma, a alimentação escolar deve possibilitar a cobertura de no mínimo 15% das necessidades diárias dos alunos.

Esse foi um dos pontos abordados durante a capacitação das merendeiras do município que puderam aprender sobre o que é o programa, seus objetivos e metas. Foram incentivadas a serem as maiores incentivadoras de uma alimentação equilibrada e de qualidade nas escolas. Como forma de premiação as merendeiras participaram de um concurso promovido pela prefeitura, juntamente com a Secretaria Municipal de Educação que visou premiar as cinco melhores receitas preparadas com os requisitos do PNAE e com os alimentos da agricultura familiar.

A nutricionista Daniela Lacerda, comenta que o curso é uma complementação para a formação das merendeiras. “Durante o curso eles puderam aprender sobre a certificação concedida pelo FNDE e o que é preconizado pela ONU. É uma capacitação para que elas possam entender e serem peças chaves no processo de aperfeiçoamento da merenda ofertada nas escolas. É um curso esclarecedor e elas receberam muito bem a formação e o concurso”, finaliza a nutricionista da alimentação escolar.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorHermeto cria o primeiro Gabinete Militar da CLDF
Próximo artigoCidade Ocidental tem volta às aulas marcado por avanço na educação e merenda
Consultor em Marketing Político; especialista em pesquisa de opinião pública; editor do Portal Conectado ao Poder; escreve a coluna On´s e Off´s, de segunda a sexta, no Jornal Alô Brasília; apresenta o programa Conectado ao Poder, aos sábados, das 6h às 8h, na Rádio 104,1 Metrópoles FM. É presidente da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*

code