Obama recebe Dilma na Casa Branca para retomar a relação bilateral

20150630121112691344aEles iniciaram uma reunião que deve abordar a cooperação na área de meio ambiente e um forte estímulo ao crescimento do intercâmbio comercial, assim como entendimentos no setor de defesa.

O presidente americano Barack Obama e a brasileira Dilma Rousseff defenderam nesta terça-feira em Washington um acordo mundial ambicioso sobre o clima, afirmando sua disposição de privilegiar as energias renováveis.

Em um comunicado comum, os dois líderes ressaltaram que os compromissos dos países sobre suas emissões de gases do efeito estufa deverão ser “regularmente atualizados” nos próximos anos, mantendo em mente o objetivo da comunidade internacional: limitar o aquecimento global a +2°C em relação a era pré-industrial.

Os dois governos estão dispostos a trabalhar lado a lado e com outros sócios para resolver “potenciais obstáculos par um acordo ambicioso e equilibrado em Paris”, segundo a declaração. No documento, o Brasil se compromete a atuar para reduzir a zero o desmatamento ilegal durante a próxima década.

O resultado da esperada conferência COP 21 de dezembro, em Paris, “enviará um forte sinal à comunidade internacional de que os governos, empresas e a sociedade civil estão enfrentando com firmeza os desafios da mudança climática”.

“O Brasil adotará políticas que se proponham a eliminar o desmatamento ilegal, aliada com ambiciosas melhorias em suas reservas de carbono mediante o reflorestamento e a recomposição das florestas”, afirma a Declaração Conjunta sobre Mudança Climática.

Além disso, Brasília se propõe a conseguir que sua matriz energética total “alcance até 2020 uma participação entre 28% e 33% de fontes renováveis sem contar a energia hídrica”.

Por seu lado, os Estados Unidos pretendem reduzir suas emissões até 2025 entre 26% e 28% em relação aos níveis registrados em 2005.

A declaração emitida nesta terça destaca que o Brasil já diminuiu 41% de suas emissões em relação às de 2005, “ao mesmo tempo em que os Estados Unidos reduziram suas emissões em cerca de 10% e está a caminho de alcançar usas metas para 2020″.

“Esse é um acordo importante”, afirmou o conselheiro de Obama para questões climáticas, Brian Deese. “Para os Estados Unidos, vai implicar o triplo da quantidade de energia renovável em nossa rede elétrica”.

Fonte: Correio Braziliense

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here

*

code

Please enter your comment!