Pré-campanha: Avaliação da rejeição dos candidatos é mais importante do que a aceitação

Por Sandro Gianelli

Governador Rodrigo Rollemberg, pré-candidato a reeleição / Reprodução da internet
Governador Rodrigo Rollemberg, pré-candidato a reeleição / Reprodução da internet

Rejeição 1
As pesquisas mais recentes para a sucessão ao Governo do Distrito Federal escondem os números da rejeição dos candidatos. Geralmente, apenas a rejeição do governador Rodrigo Rollemberg ou do seu governo tem tido ampla divulgação. Observar apenas o percentual de votos não reflete a realidade numa eleição. Que todos os pré-candidatos sejam avaliados em relação a rejeição e tenha ampla divulgação.

Rejeição 2
É mais fácil um candidato conquistar um voto que não tinha do que se livrar da rejeição ao seu nome. Por isso é importante ficar atento a rejeição daqueles que querem governar o Distrito Federal. Se livrar de um sentimento negativo, de repulsa, de rejeição é extremamente difícil.

Deputado distrital Chico Vigilante / Reprodução da internet
Deputado distrital Chico Vigilante / Reprodução da internet

Terrorismo
O deputado distrital Chico Vigilante (PT) usou seu perfil no Twitter para alertar sobre o ataque ao acampamento Lula Livre. Chico lembrou que a Caravana Lula já havia sido atacada é que desta vez os terroristas de direita, do sul do país, atingiram duas pessoas, que foram hospitalizadas.

Fake News
Sabe aquela história de que, se mais da metade dos eleitores deixarem de votar as eleições serão anuladas? Pois é, esqueceram de combinar com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A verdade é que os votos válidos definem a eleição independente de quantos eleitores comparecerão as urnas.

Ir ou não ir?
Quanto mais pessoas deixarem de votar, menos pessoas definirão os futuros governantes dos Estados, do Distrito Federal e do Brasil. E aí, em que time você joga? No time dos que escolhem por quem será governado ou no time que deixa que os outros escolham por você?

Crise hídrica 1
O deputado distrital Chico Leite (Rede) é contrário ao aumento de 9,69% na conta de água. Para o parlamentar, “a sociedade fez a sua parte, economizou água, respeitou o racionamento e tem adotado novas práticas sustentáveis”. O reajuste na conta é muito acima da inflação.

Crise hídrica 2
O aumento na conta de água é mais de três vezes o valor do reajuste que foi dado no ano passado, que foi de 3,1%. A Caesb alega que houve queda de receita devido à diminuição no consumo. A população foi penalizada com o racionamento e agora é penalizada com o novo reajuste.

* A Coluna é escrita por Sandro Gianelli e publicada de segunda a sexta no Portal Conectado ao Poder, no Jornal Alô Brasília e no Portal Alô Brasília.

Coluna 1 maio

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*

code