Prefeito Fábio Correa garante que obras da estrada Parque Norte não serão paralisadas

Após o governador Ronaldo Caiado (DEM) anunciar medidas para equilibrar os cofres públicos, prefeito de Cidade Ocidental afirmou que vai manter o município nos trilhos do desenvolvimento

A obra é estratégica para a região do Entorno Sul do Distrito Federal, pois ela vai desafogar o trânsito da BR 040, facilitando o escoamento da produção que abastece Brasília.

O governador Ronaldo Caiado (DEM) declarou medidas rígidas para cobrir os gastos nos cofres públicos. Mediante o decreto de calamidade financeira, o governo estadual afirma que não deve conseguir fechar as contas. De acordo com o documento, que não prevê ações práticas pra sanar os problemas apontados, o aperto nas contas deve durar ao menos seis meses. Já no primeiro mês de governo, escolas estaduais foram fechadas e salários dos servidores sofrem atrasos.

 Uma das medidas presentes no decreto é a impossibilidade de honrar os contratos do Programa Goiás na Frente, que prevê obras de infraestrutura em todos os 246 municípios do estado. O anúncio da ação foi feito pelo Secretário de Governo, Ernesto Roller através da imprensa – e a grande maioria dos prefeitos soube da paralisação de obras e pagamentos oriundos do programa pelos jornais. O prefeito Fábio Correa, de Cidade Ocidental descobriu a intenção do governo através de uma reportagem de jornal e, mesmo já tentando uma audiência há semanas com o novo secretário, não foi oficializado sobre a medida. “Nem ofício, nem comunidade, nem telefonema, nada”, declarou o chefe do executivo.

Com o estancamento proposto por Ronaldo Caiado, as obras da estrada Parque Norte, passam a não receber mais recursos estaduais. A obra é a única alcançada através do Programa Goiás na Frente no município, mesmo com as notícias o projeto segue como a esperança de toda a região do Entorno do Distrito Federal. Com a finalização da obra, a nova via desafoga o trânsito da BR 040, facilitando o escoamento da produção que abastece a cidade de Brasília. Além disso, Valparaíso, Novo Gama, Luziânia e até algumas satélites de Brasília vão ser beneficiadas no efeito cascata.

A obra é de total estratégia para a região do Entorno Sul do Distrito Federal. Mais por questões políticas e menos por questões administrativas, o fato é que o governador Ronaldo Caiado frustrou as expectativas da população dos municípios. Pois a maioria deles dependia das obras iniciadas em 2017 para criar desenvolvimento ou mesmo levar medidas básicas de infraestrutura aos moradores. Mas apesar dos desafios e empecilhos o prefeito Fábio Correa, de Cidade Ocidental cidade onde se concentra a obra, prometeu colocar em prática nos próximos meses um plano B para finalizar a via. “A nossa população não vai ser prejudicada com isso, e nós já temos uma saída para a estrada parque. Vamos começar os nossos movimentos imediatamente”, garante o prefeito.

 A estrada Parque Norte já foi concluída em mais de 50% do projeto, as ações de terraplanagem já estão feitas e falta somente a primeira capa asfáltica, para que o trabalho feito não seja perdido. Não terminar a obra seria um desperdício de recurso público, tendo em vista que as primeiras parcelas foram pagas, com prestação de contas aprovadas e contrapartida do município paga. Restam somente mais duas parcelas para concluir a primeira fase da obra.

Cientes disso, as autoridades se apressam para serem oficializados sobre a medida anunciada por Caiado. Segundo o prefeito, Fábio Correa uma conversa individual com os representantes de cada município seria o melhor a se fazer. “O que aconteceu foi uma parceria entre as entidades do município e do estado, não um acordo político ou eleitoral”, disse. Ou seja, é uma obrigação do estado manter o programa, já que a ação Goiás na Frente é um ato de instituições, não de governo.

Apesar das noticias, o chefe do executivo está confiante. “Caso o estado se mantenha nesta posição, vamos tomar medidas judiciais e teremos que terminar a obra da estrada parque com recursos próprios”, conclui Fábio. A medida proposta por Fábio Correa é a mais viável, primeiramente um parecer da Procuradoria do Estado – e posteriormente definir as reais possibilidades dos cofres estaduais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*

code