Tumulto e quebra-quebra em Taguatinga interrompem funcionamento do Metrô

Um incidente a 100 metros da estação Taguatinga Centro interrompeu o fluxo do metrô no ramal Ceilândia, nesta segunda-feira (4/12). Em um tumulto ocorrido por volta das 6h10, alguns passageiros quebraram vidros de janelas de três trens que estavam parados. Relatos obtidos pelo Correio mostram que houve pânico, especialmente quando o ar-condicionado de um dos veículos falhou. Usuários se queixavam de falta de ar. Os vagões estavam lotados.
“Avisaram que tinha um trem quebrado à frente e teríamos que aguardar. O ar-condicionado não estava funcionando, e, no vagão onde eu estava, as pessoas começaram a ficar sem ar. Tentaram abrir as janelinhas, mas era insuportável”, descreveu o pintor Natal Antunes Júnior, 53 anos. Em pânico, um usuário apertou o botão de emergência do trem. As portas se abriram e passageiros desceram. Três pessoas teriam passado mal e ficaram caídas no chão do trem.
Como havia pessoas caminhando nos trilhos, a energia precisou ser cortada no local. Furiosos com o atraso nos trens, alguns passageiros deterioram os veículos e quebraram bilheterias e catracas do metrô. De acordo com o Metrô/DF, um grupo tentou arrombar o caixa para pegar o dinheiro da passagem de volta.
Seguranças e policiais precisaram intervir. Até o momento, não há relatos de prisões, até porque ninguém conseguiu identificar quem quebrou as janelas e tentou arrombar o caixa.
Correio teve acesso a vídeos enviados por Natal durante o tumulto. No momento em que as portas do trem se abrem, passageiros gritam e cantam músicas para ironizar a situação. “Isso é Brasil”, grita um usuário.
Os vídeos mostram passageiros andando sobre os trilhos, no escuro. Apesar das brincadeiras feitas por alguns usuários, Natal descreve: “Todo mundo com medo”. E acrescenta: “Está difícil chegar no trabalho, hoje”. O pintor só conseguiu retornar à estação Taguatinga Centro às 8h25.
Ed Alves/CB/D.A Press

A estatal afirmou que houve um problema na máquina de chave que faz o alinhamento das rotas dos trens. Isso ocasionou um atraso de ao menos 30 minutos. O Metrô acredita que, por causa da demora, o passageiro ficou com raiva e apertou o botão de emergência na estação Praça do Relógio.

Viaturas do Corpo de Bombeiros estão no local para atender a pessoas no tumulto. Os ramais Samambaia e as linhas entre Águas Claras e Central funcionam de acordo com o horário especial de greve, que chega ao 26º dia. Os três trens com vidro quebrado seguem, nesta manhã, para manutenção. Por volta das 8h49, o funcionamento da linha começou a normalizar.
Fonte: CB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*

code