Vendas do comércio brasiliense registraram alta em maio

As vendas do comércio brasiliense registraram alta de 3,85% em maio de 2017 na comparação com abril. As vendas do setor de serviços também tiveram aumento, de 1,44%. Já na comparação com o mesmo período do ano passado (maio 2017/ maio 2016), o comércio apresentou declínio de -0,07% e o setor de serviços registrou retração de -2,39%. No acumulado dos últimos 12 meses, a queda é de -2,66% no comércio e 0,69% em serviços. É o que mostra a Pesquisa Conjuntural de Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal, realizada pelo Instituto Fecomércio com apoio do Sebrae, em 900 empresas de 26 segmentos.

O presidente da Fecomércio, Adelmir Santana, explica que entre os 26 segmentos pesquisados, apenas três tiveram variação negativa de vendas, ou seja, 11,54% dos segmentos avaliados tiveram queda de faturamento. “O aumento nas vendas no mês de maio é referente a segunda melhor data comemorativa do ano: o Dia das Mães. Todo o comércio é beneficiado direta ou indiretamente com a data”, ressalta Adelmir. Para ele, as vendas nos setores de comércio e serviços tendem a melhorar neste segundo semestre.

O único segmento que apresentou queda no setor de comércio foi Suprimento de Informática (-2,01%). Já os que registraram alta nas vendas em maio foram: Calçados (11,10%); Autopeças e Acessórios (9,27%); Artigos de Armarinho, Suvenires e Bijuterias (6,49%); Joalheria (5,91%); Cosméticos e Perfumaria (5,83%); Livraria e Papelaria (5,42%); Cama, Mesa e Banho (4,88%); Ótica (4,09%); Material de Construção (4,06%); Comércio Varejista de Bebidas (4,01%); Vestuário e Acessórios (2,63%); Padaria e Confeitaria (2,47%); Minimercados, Mercearias e Armazéns (1,51%); Farmácia (1,25%); Ferragens e Ferramentas (0,19%) e Móveis (0,19%).

No setor de serviços, apenas dois segmentos apresentaram queda nas vendas em maio: Capacitação e Treinamento (-0,72%) e Organização de Feiras, Congressos e Festas (-0,53%). Já os segmentos que apresentaram crescimento foram: Atividades de Condicionamento Físico (11,08%); Promoção de Vendas (2,22%); Sonorização, Fotografias e Iluminação (1,76%); Cabeleireiros (1,75%); Manutenção e Serviços para TI (1,71%); Atividade de Contabilidade (1,69%) e Bares, Restaurantes e Lanchonetes (0,25%).

A Pesquisa Conjuntural procura acompanhar, de forma sintética e sistemática, o quadro evolutivo das atividades do Comércio Varejista e Serviços de Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Os indicadores aferidos auxiliam na identificação dos segmentos que apresentaram melhor e pior desempenhos, assim como os fatores macroeconômicos que influenciam a economia local, dando um olhar técnico, porém com a subjetividade inerente a quem conhece e vive a realidade do mercado do DF.

Fonte: Fecomércio-DF

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*

code