“Isso aí não tem cabimento dentro da justificativa que tem sido feita”, diz General Santos Cruz sobre armamento

Da redação

Santos Cruz possui o entendimento de que o porte de arma vai além de segurança pública

Como é do conhecimento de toda a população, o presidente da república, Jair Bolsonaro, sempre deixa evidente a defesa do direito ao porte de arma. No entanto, muitas pessoas são contra a atitude e outras entendem que a forma com a qual o presidente aborda a temática, não é a mais consciente, como é o caso do posicionamento do General Santos Cruz, que participou de uma conversa com a equipe do programa Conectado ao Poder.

“Isso aí não tem cabimento dentro da justificativa que tem sido feita. O governo tem que ter um plano racional de segurança pública, executar um plano nacional de segurança pública, desenvolver a segurança pública e não estimular o cidadão a se armar achando que isso está trazendo mais segurança pública”, disse.

Embora seja necessário elaborar um plano de segurança pública, a posse de arma, para Santos Cruz, parte para o princípio da individualidade. “A aquisição de armamento é uma questão de liberdade individual e não é uma questão de segurança pública”, pontuou.

O General relatou, ainda, que viveu por cinco anos no exterior, em áreas de conflito, como Haiti e África, locais em que pessoas vivem armadas e, em razão disso, percebe que a arma, para defender a política, é um erro. “A pior deformação de todas é achar que a arma na sua mão é uma opção política, isso é um dos maiores absurdos”.

Artigo anteriorBolsoNeis
Próximo artigo“Tem que ter o coro grosso”, ressalta Celina Leão sobre a participação feminina na política
Sandro Gianelli começou a carreira jornalística em 2011. É consultor em marketing político e especialista em pesquisa de opinião. Foi secretário de comunicação social em algumas prefeituras e assessor de imprensa na Câmara Legislativa. É editor do Portal Conectado ao Poder e âncora do Conectado ao Poder na rádio Metrópoles. Apresentou o Conectado ao Poder em duas TVs, passando pela TV União de segunda a sexta, ao vivo, em 2020. Foi colunista do Jornal Alô Brasília, assinando a coluna On’s e Off’s, de 2016 a 2018. Presidiu a Associação Nacional de Portais de Notícias (ABBP), entre 2017 e 2018. Em 2014, estreou o Conectado ao Poder na Rádio Federal. Em 2015, o programa passou para a rádio OK FM, de segunda a sexta. Em 2018, passou para a rádio Metrópoles.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui