Calor e baixa umidade deixam DF em ‘alerta vermelho’

De acordo com a Defesa Civil, situação pode causar hipertermia (elevação de temperatura do corpo) e exige cuidados da população

Com temperaturas elevadas – 5º acima da média do mês – há mais de cinco dias, a Subsecretaria do Sistema de Defesa Civil emitiu alerta aos brasilienses em razão da onda de calor. Este cenário coloca o Distrito Federal em “alerta vermelho” e, de acordo com o Inmet, deve permanecer até esta sexta-feira (9), já que no final de semana há previsão de que as chuvas voltem a cair no DF.

“Além do calor excessivo, que pode elevar muito a temperatura do corpo causando prejuízos à saúde, como hipertermia, a umidade permanece muito baixa, não passando de 20%. Essa combinação é muito perigosa e merece toda atenção. Os cuidados devem ser redobrados, principalmente com crianças e idosos. Fizemos essa orientação à população, via SMS”, alerta o subsecretário da Defesa Civil, coronel Alan Araújo.

Para amenizar o calor, há orientações específicas para cada faixa etária, como explica Araújo. “É importante que as crianças evitem exposição excessiva ao sol, os adultos – como saem mais às ruas – devem aumentar a proteção, com uso de chapéus e protetor solar, e para os idosos é muito importante que qualquer esforço necessário, como caminhadas ou exercícios, sejam realizados antes das dez da manhã. Mas uma dica é para todos: mantenham-se hidratados, aumentem o consumo de frutas e usem roupas leves”.  

Os alertas são enviados após cadastro prévio, enviando o CEP para o número 4019.

Umidade

Além do estado de alerta, existem mais duas classificações dos níveis: o estado de atenção, quando a umidade fica entre 30% e 20% por cinco dias, e o de emergência, quando a umidade ficar abaixo de 12% por dois dias consecutivos.
 
Orientações importantes:

➯ Lave as mãos com frequência e evite colocá-las na boca e no nariz. Não esqueça de usar máscara de proteção individual, importante neste período para evitar o contágio pelo novo coronavírus;
➯ Procure manter o corpo sempre bem hidratado. Portanto, beba bastante água, mesmo sem sentir sede. Na hora do lanche ou da sobremesa, dê preferência a frutas ricas em líquidos, como melancia, melão e laranja, por exemplo. Em especial, fique atento à hidratação das crianças, idosos e dos doentes;
➯ Aplique soro fisiológico no nariz e nos olhos para evitar o ressecamento;
➯ Evite a prática de exercícios físicos ao ar livre entre 10h e 17h;
➯ Use produtos para hidratar a pele do rosto e do corpo, pelo menos depois do banho e na hora de deitar;
➯ Coloque chapéus e óculos escuros para proteger-se do sol;
➯ Aproveite o vapor produzido pela água durante o banho para lubrificar as narinas
➯ Coloque toalhas molhadas, recipientes com água ou vaporizadores nos quartos de dormir;
➯ Evite aglomerações e a permanência prolongada em ambientes fechados ou com ar condicionado, pois o ressecamento das mucosas aumenta o risco de infecções das vias aéreas;
➯ Mantenha a casa sempre limpa e arejada. O tempo seco aumenta a concentração de ácaros, fungos e da poeira em móveis cortinas e carpetes;
➯ Procure não usar vassouras que levantam o pó por onde passam. Dê preferência para aspiradores ou panos úmidos;
➯ Ligue ventiladores de teto no modo “exaustor”, com ar direcionado para cima. Ligados para baixo, no modo “ventilação”, levantam a poeira que se mistura no ar;
➯ Não queime lixo nem provoque queimadas por descuido ou desatenção.

Fonte: Agência Brasília
Por Freddy Charson

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui