Macri faz juramento e diz que prioridade é combate à pobreza extrema

20151210131218178573oO novo presidente da Argentina sinalizou que vai adotar políticas contra o narcotráfico, a corrupção e “o personalismo dos que atropelam as instituições”.

Buenos Aires, Argentina – Mauricio Macri prestou juramento nesta quinta-feira (10/12) como novo presidente da Argentina ante um chefe de Estado provisório na cerimônia de transferência de poder em que sua antecessora, Cristina Kirchner, se fez ausente em função de um desacordo protocolar.

“Juro por Deus Nosso Senhor e ante os Santos Evangelhos desempenhar com lealdade e honestidade o cargo de presidente da Nação”, afirmou Macri, dando fim ao mais longo ciclo político da democracia argentina liderado pelo casal Néstor e Cristina Kirchner desde 2003.

Durante discurso, o novo presidente afirmou que as prioridades de seu governo serão o combate à pobreza e ao narcotráfico e a união da Argentina. “É um desafio, depois de anos de prepotência e enfrentamento inútil. Todos temos que crescer. Quem votou em nós quer três coisas: pobreza zero, derrotar o narcotráfico e união de todos. Vamos universalizar a proteção social para que nenhuma criança fique desprotegida”, disse, ressaltando que adotará políticas para geração de emprego.

Macri sinalizou também que irá governar sem “o personalismo dos que atropelam as instituições por motivos pessoais”. Segundo ele, sua gestão será transparente. Durante o governo passado, oposicionistas e formadores de opinião acusavam a gestão de Cristina Kirchner de omitir dados estatísticos da economia, como a taxa de inflação.

América Latina

Macri disse que seu governo vai buscar unidade e cooperação da América Latina com o restante do mundo e o fortalecimento da democracia na região para superar as adversidades. “Queremos ter um relacionamento normal com todos os países do mundo”, afirmou, no discurso de posse no Congresso Nacional.

O novo presidente também defendeu a Justiça independente na Argentina. “No nosso governo, não haverá juízes macristas, não pode haver juízes militantes de algum partido político, não são bem-vindos no meu governo”, disse o novo presidente. Ele também quer um Poder Judiciário mais rápido. “Justiça tardia não é justiça”.

Macri pediu o apoio de todos os setores para governar e cumprimentou os outros candidatos à Presidência. Todos os candidatos compareceram à posse. “Estamos unidos pela democracia e para ver uma Argentina desenvolvida. Os desafios à frente são enormes, e não poderão ser resolvidos de uma hora para outra, mas asseguro que vamos dar pequenos passos a cada dia. Conto com vocês para governar”.

 

Corrupção

Ele também prometeu combater a corrupção. “Esse governo vai combater a corrupção. Vou ser implacável com os corruptos. Não importa o partido.”

Faixa presidencial

Depois do discurso no Congresso, Macri irá receber a faixa presidencial na Casa Rosada. A faixa e o bastão serão passados pelo presidente interino do Senado, Federico Pinedo.

A passagem da faixa provocou um desentendimento entre Cristina e Macri. Uma decisão judicial a favor de Macri determinou que o mandato de Cristina Kirchner terminou às 23h59 de ontem (9/12). A partir de meia-noite, Pinedo assumiu o governo até Macri tomar posse.

Fonte: Correio Braziliense

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui