Crianças não podem ouvir apenas histórias com finais felizes

Da redação

Escritora brasiliense diz que isso pode dificultar o processo de lidar com as frustrações pessoais

A contadora de histórias e escritora Nyedja Gennari é enfática ao dizer que criança tem que ouvir história de medo, de bruxa, não apenas aquelas de final feliz. “A vida não tem final feliz sempre”, destaca a brasiliense. Em entrevista ao programa Conectado ao Poder, da TV União, ela enfatizou que isso pode ser extremamente prejudicial para a evolução do cidadão.

“Quando ela não sabe lidar com frustrações, no futuro, pode vir a ser uma pessoa com depressão e demais problemas psicológicos”, acredita a escritora.

De acordo com ela, a gente precisa ensinar nossas crianças a lidar com frustração. Para Nyedja, histórias sempre com final feliz vai ser ruim para a formação do caráter dela.

“A Mônica, por exemplo, ela aprendeu a vencer o bullying”, justifica. “Na literatura de hoje, todos querem histórias corretas. Além de ser errado, é muito chato”, completa.

Outro exemplo dado pela contadora de histórias é o caso de Monteiro Lobato, autor de ‘O Sítio do Pica Pau Amarelo’. “Ele era extremamente racista sim. Todos condenam”, avalia. “Porém, era daquela época. Ele vivia aquilo. Graças a Deus, nós evoluímos e sabemos que aquilo era errado, mas não precisa queimar as obras de Monteiro Lobato”, pondera.

Ela finaliza com a real preocupação que os pais precisam ter: “Tem que tomar muito cuidado com essa geração, pois há influências bizarras. Muitos influenciadores falam cada absurdo. Isso sim que devemos combater”.

Para ela, as tecnologias vieram para ajudar e entreter, mas tudo tem seu tempo e sua quantidade. A escritora fala em moderação e direcionamento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui