PCDF prende estudante acusado de usar internet da universidade para divulgar conteúdo de pornografia infantojuvenil

A Polícia Civil do Distrito Federal— PCDF, por meio do trabalho investigativo da equipe da Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Cibernéticos— DRCC deflagrou, nesta manhã (23),  a Operação *Gaslighting. A ação visou cessar a conduta de um cibercriminoso que, após conseguir o envio de material pornográfico, por meio de redes sociais das vítimas— geralmente  meninas adolescentes—, passava a escravizá-las de forma virtual.

De acordo com as apurações, o homem ordenava que as vítimas o o chamassem de mestre e fizessem vídeos de conteúdo sexual— ato considerado estupro virtual— e de automutilação com palavras escritas com navalha em seus corpos e, após,  induzia as adolescentes ao suicídio.

A operação resultou no cumprimento do mandado de busca e apreensão na cidade do Recanto das Emas/DF, e na prisão em flagrante do investigado. Segundo apurado, o criminoso armazenava os arquivos de pornogragia produzidos em equipamentos informáticos na própria residência e, ainda, no computador da universidade federal do DF.Todo este material será analisado pela Seção de Perícias de Informática do Instituto de Criminalística da PCDF.

A operação mobilizou seis policiais civis da DRCC e contou com o apoio de peritos Criminais da Seção de Informática do Instituto de Criminalística – SPI/IC e da equipe da Corregedoria do Corpo de Bombeiros Militar do DF (CBMDF).

A participação do CBMDF está relacionada ao fato de o pai do investigado ser integrante da instituição militar e a ação policial ter ocorrido na residência da família.

Rede da universidade era utilizada para divulgar pornografia

Chamou a atenção da equipe da DRCC o fato de o investigado estar usando a rede de computadores de uma universidade federal, diretamente ligada ao Ministério da Educação, com sede no Distrito Federal, para divulgar o material relacionado ao abuso sexual infantojuvenil.

As investigações comprovaram que o jovem, de 18 anos, cursava na universidade uma disciplina denominada Áudio e Vídeo. Durante as aulas, ele aproveitava a rede da faculdade para  divulgar o conteúdo ilícito pelas web.

Os crimes

Pelos crimes de registro não autorizado da intimidade sexual (art. 216-B do CP), armazenamento de pedopornografia (art. 241-B do ECA), induzimento à prática de automutilação e suicídio (art. 122 do CP) e estupro na modalidade virtual (art. 213 do CP), o cibercriminoso poderá receber pena de até 17 anos de prisão.

O termo *gaslighting é usado para designar uma forma de abuso psicológico em que informações são manipuladas até que a vítima não consiga mais acreditar na própria percepção da realidade.

Fonte: PCDF

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui