PDT-DF se reorganiza após saídas e prepara candidatos para eleições de 2018



pdt-df-se-reoganiza-apos-saidas-e-prepara-candidatos-para-eleicoes-de-2018Com o anúncio da saída dos senadores Cristovam Buarque e Antônio Reguffe e da distrital Celina Leão, provocou uma reunião entre essas lideranças na sede do partido, na última terça-feira (16).

As baixas por ocasião da janela de transferência partidária, que ocorre nesta quinta-feira (18), repercutiram nas esferas locais e nacionais do PDT Partido Democrático Trabalhista) e provocou uma reunião entre essas lideranças na sede do partido.

O encontro não teve a presença dos senadores Cristovam Buarque e Antônio Reguffe, tampouco da presidente da Câmara Legislativa, Celina Leão, que anunciaram que estão de saída da legenda.

Futuro

Após o encontro, que teve a presença do presidente nacional do PDT, Carlos Lup,  do presidente regional, Georges Michel, dos distritais Reginaldo Veras e Joe Valle – licenciado do cargo – e do secretário-adjunto do Trabalho, Thiago Jarjour, além de outras lideranças partidárias, os pedetistas anunciaram que a meta da legenda é formar base para a candidatura à presidência de Ciro Gomes e de uma chapa majoritária para o Distrito Federal, que poderá contar tanto com candidato a governador quanto a senador.

“No DF temos grandes nomes para disputar as eleições majoritárias, mas o partido agora vai se organizar para formamos uma base para a candidatura a presidente de Ciro Gomes. Vamos nos preparar e definir a melhor estratégia para isso”, afirma o presidente nacional , Carlos Lupi, que localmente vê Joe Valle como nome em potencial para a disputa do Buriti.

Enquanto isso, outros membros do partido defendem o nome de Reginaldo Veras que, considera que apesar de nomes importantes abandonarem a legenda, o partido continuará forte. “O PDT não vai virar, em hipótese nenhuma, um gueto. Mas, agora não vamos abrir as portas para qualquer um também”, declara Veras.

A ideia  também é compartilhada pelo secretário de Trabalho, Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Joe Valle. “O PDT é um partido consolidado e vai continuar fazendo a discussão de temas importantes, nas áreas de meio ambiente e social. Vamos continuar trabalhando para melhorar o governo e no que depender de mim, teremos uma Secretaria organizada, funcionando”.

Durante o encontro, Joe Valle disse ainda, segundo participantes da reunião que o “momento do PDT não é de se reconstruir, porque ele não estava destruído, mas de olhar para frente”. A ideia teve complemento por parte do presidente regional, Georges Michel que disse que o momento é de deixar o passado de lado.

Coração

Para o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, a saída dos três parlamentares demonstrou a falta de compromisso que existe atualmente entre políticos e os partidos e suas ideologias, mas, considera isso um processo natural da política.

“A troca de partido, com essa janela de transferência, é um processo natural quando as pessoas que mudam não integram o partido com o coração. A janela serve para que as pessoas escolham de que lado querem ficar e qual a sua ideologia”, lamenta Lupi, que agradeceu, durante a reunião, a permanência dos distritais no partido e os adjetivou como símbolos do partido na esfera local.

Cargos

A saída da presidente da Câmara Legislativa, Celina Leão, abriu uma interrogação quanto a cargos indicados pelo partido dentro do governo Rodrigo Rollemberg (PSB) e que estão sob a tutela da parlamentar.

De acordo com o presidente regional da legenda, Georges Michel, o PDT-DF não tem na cota de Celina, dentro do Executivo, indicações e que as que foram feitas estão na conta do distrital licenciado e secretário da atual gestão, Joe Valle.

“Os cargos que são do partido, são os que foram indicados pelo Joe. A Secretaria que está sob o comando dele continuará com o partido, então não temos que reclamar nenhum cargo. Os cargos indicados pela Celina são de cunho particular”, explica Michel, que não sabe qual será a decisão do governador Rollemberg em relação a permanência de Celina em sua base, mas acredita que com a ida dela e do senador Cristovam Buarque para o PPS, a sigla de Roberto Freire passará a fazer base para o governo local.

Chegadas

Apesar das importantes perdas, a Janela Partidária poderá trazer importante mudanças para o PDT. Segundo um membro do partido, políticos de renome procuraram a legenda para se transferirem para a sigla, quando da abertura da janela de tranferência.

De acordo com o membro, entre os nomes que procuraram o PDT estão três distritais: Israel Batista (PV), e os recém-transferidos para a Rede Sustentabilidade, Cláudio Abrantes, que deixou o PT, e Luzia de Paula, que saiu do PHS.

A intenção de mudança de partido já havia sido negada pelo deputado Cláudio Abrantes. Já o nome de Luzia de Paula surgia como forte rumor no PSB, partido do governador Rodrigo Rollemberg, que teria feito o convite à parlamentar pessoalmente.

Partidas

A saída do senador Cristovam Buarque do PDT foi motivada pela chegada de Ciro Gomes. Cristovam queria disputar as eleições para a presidência da República, mas o PDT acabou optando pelo recém-chegado Ciro. O senador deve se transferir para o PPS.

Já Reguffe afirmou que sua saída estava relacionada a continuidade do partido na base da presidente Dilma Rousseff (PT), mesmo diante de uma série de denúncias envolvendo membros da gestão da mandatária. A relação piorou quando o partido, em troca de continuar apoiando a petista, aceitou comandar o Ministério da Comunicação, sonho antigo da legenda.

Celina Leão, por sua vez, afirmou que sua saída estava motivada pela saída dos dois senadores e que não via sentido em sua permanência na legenda sem eles, até por ser contrária também ao governo Dilma Rousseff. Celina também anunciou que irá junto com o senador Cristovam Buarque para o PPS.

Fonte: Fato Online

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*

code