Segurança Pública: Consegs e Sedfgo articulam união para combater violência no Entorno do DF

Caroline Fleury recebeu representantes dos Conselhos e pediu trabalho conjunto para levar tranquilidade à população da região

Pela primeira vez, representantes dos Conselhos Comunitários de Segurança se reuniram na Secretaria do Entorno do Distrito Federal (Sedfgo), em Brasília, para debater ações conjuntas na área de segurança que possam diminuir índices de violência e dar tranquilidade a moradores e comerciantes de toda região, que tem mostrado melhoria na área neste governo. O encontro ocorreu nesta quinta-feira (24), e contou com profissionais de Santo Antônio do Descoberto, Luziânia e Valparaíso.

Os representantes dos Conselhos destacaram que o tráfico e a dependência de drogas, além da violência doméstica são os principais desafios atuais. Por isso, sugeriram treinamentos específicos para atendimento às mulheres nas delegacias para acolhimento de mulheres vítimas de violência e seus filhos, a exemplo do que a Polícia Militar já vem fazendo com o Batalhão Maria da Penha. Outro pedido foi a possibilidade de fortalecer a capacitação dos profissionais dos Consegs. “Nós já agendamos uma reunião com governo federal para tratar de recursos específicos para os Consegs. Nosso objetivo é que os conselhos possam atuar em rede para melhorar toda região”, frisou Caroline Fleury.

A secretária Caroline Fleury disse, ainda, que buscará ações que possam fortalecer e reconhecer o trabalho social feito pelos Conselhos. “A diminuição da violência passa pelo social e pela educação, no que depender da Secretaria, vamos fazer as pontes para atuar de prevenção, fortalecendo o combate à criminalidade que tem se destacado em Goiás”, registrou.

Agosto Lilás

A Campanha “Agosto Lilás”, de combate à violência doméstica contra a mulher, foi lembrada na reunião. Também foram pontuadas ações adotadas nos municípios da região e quem têm contado com a presença de representantes da Secretaria do Entorno do DF. A secretária frisou as várias medidas que o Governo de Goiás tem tomado para combater essa modalidade de violência, entre elas, o aplicativo Mulher Segura, o Batalhão Maria da Penha e o Pacto Goiano pelo fim da violência contra a mulher.

Durante a reunião na Sedfgo, a psicóloga e agente de Polícia Civil, Eufrásia Oliveira Campos, explicou que ainda existe, em algumas localidades, um imaginário de que a mulher precisa ser proativa para sair de um relacionamento abusivo.

Conforme explicou, profissionais que não passam por treinamento específico para o atendimento, podem adotar condutas sem considerar fatores como a dependência do parceiro, que pode ser financeira, psicológica, etc.

“A vítima de violência doméstica não precisa de conselho ou julgamento, mas sim de acolhimento desde a denúncia, para que possa sair da situação de forma humanizada. Assim que a mulher chega na Delegacia, precisa de um profissional capacitado e estimule a procura de toda rede apoio disponível”, explicou a psicóloga e agente policial.

As vítimas de violência podem denunciar no 180 ou no 190, ou ainda procurar a delegacia especializada mais próxima.

Próximos passos

Os representantes dos Consegs relataram ações adotadas e demandas existentes para fortalecerem o trabalho junto à comunidade. Eles reforçaram que, a partir de agora, será essencial a rede de conexão estabelecida a partir da disponibilidade da Sedfgo em dialogar com os governos de Goiás e do Distrito Federal e com a União.
A secretária do Entorno reforçou que a Pasta faz a mediação e tem conseguido excelentes resultados. “Eu tenho repetido que é preciso pensar o Entorno em conjunto. Pensar e agir coletivamente, para buscar por soluções em todas as áreas, incluindo a segurança, em que a prevenção faz toda diferença”, concluiu.

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui