Sem provas, Leite acusa Doria de comprar votos nas prévias do PSDB

Os governadores João Doria (PSDB-SP) e Eduardo Leite (PSDB-RS), pré-candidatos à presidência, em encontro no Palácio do Piratini, em Porto Alegre | Imagem: Luís Blanco / Equipe JD

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), acusou ontem o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), de comprar votos nas prévias do PSDB, que decidirão o candidato da sigla à presidência da República. Leite não apresentou provas após a acusação.

“Não há nenhuma denúncia de tentativa de compra de votos do nosso lado, nenhuma denúncia de pressão política, nenhuma denúncia de que tenhamos exonerado pessoas por não nos apoiar. Do outro lado, nós vemos isso, denúncia de compra de votos, pressões indevidas, suspensão de filiações e demissão de pessoas”, afirmou Leite ontem.

O governador do Rio Grande do Sul acrescenta que seu “adversário”, o governador João Doria, “fala até em expurgar pessoas do partido, é um tipo de conduta que busca comandar aquilo que interessa para ele. Os que não estiverem alinhados que saíam da frente do caminho”.

Procurado pelo UOL, o coordenador de campanha de Doria nas prévias, Wilson Pedroso, afirmou que “as infundadas acusações da campanha de Eduardo Leite demonstram o desespero de quem prevê a derrota”.

Segundo Pedroso, Leite “trabalha para melar as prévias”. Em entrevista à CNN, o coordenador defendeu que as eleições são “transparentes” e que tem a impressão de que a campanha do governador gaúcho “não quer saber o resultado”.

O ex-prefeito de Manaus (AM), Arthur Virgílio, também disputa as prévias do PSDB. Segundo o partido, a votação para escolha do candidato será encerrada até domingo após adiamento por uma falha no aplicativo.

Ao todo, 44,7 mil pessoas se cadastraram para votar nas prévias do PSDB, mas, segundo apuração do UOL, apenas 8% conseguiram concluir o processo. Entre os que não votaram está o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Um dos problemas relatados foi o erro no uso do reconhecimento facial.

Fonte: UOL

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui