Advogados de Trump pedem adiamento de audiência em processo sobre eleições de 2020

Os advogados do ex-presidente norte-americano Donald Trump pediram nesta terça-feira à juíza responsável pelo julgamento das acusações de tentativa de anulação da eleição de 2020 para atrasar o agendamento de uma audiência judicial que ajudará a determinar como as evidências podem ser usadas e compartilhadas no caso.

Os advogados de Trump e a equipe do procurador especial Jack Smith entraram em conflito em um processo judicial conjunto sobre uma data de audiência perante a juíza do Tribunal Distrital Tanya Chutkan, para discutir o tratamento das evidências.

Os promotores disseram que estavam disponíveis durante toda a semana. Os advogados de Trump pediram um adiamento até o início da próxima semana.

Na segunda-feira, a equipe de defesa de Trump se opôs a um pedido dos promotores para que Chutkan impusesse uma ordem de proteção para garantir que evidências confidenciais não sejam compartilhadas publicamente por Trump, sugerindo que ele poderia usar as informações para intimidar testemunhas.

Os advogados de Trump disseram que os limites infringiriam seu direito à liberdade de expressão, protegido pela Primeira Emenda da Constituição dos EUA.

Normalmente, os advogados de defesa não se opõem a tais ordens de proteção porque isso pode atrasar o governo de produzir as provas que pretende usar no julgamento em um processo conhecido como descoberta.

Chutkan ordenou que ambos os lados propusessem uma data de audiência para esta semana para discutir suas divergências. A discordância sobre a data da audiência representou o mais recente esforço da equipe de Trump para atrasar ou desacelerar os procedimentos legais.

O desentendimento também destacou os desafios logísticos que a equipe de Trump pode ter, já que continua a representá-lo em dois processos criminais federais separados movidos pelo gabinete de Smith, um em Washington, DC, e outro no sul da Flórida, onde Trump é acusado de reter documentos altamente confidenciais depois de deixar a Casa Branca e de obstruir os esforços do governo para que os registros fossem devolvidos. 

Um dos advogados de Trump, Todd Blanche, estará em um tribunal federal na Flórida na quinta-feira para uma audiência de leitura de acusação, depois que o governo apresentou uma acusação substitutiva que imputou a Trump contagens criminais adicionais e também acusou outro de seus funcionários no caso.

No processo conjunto de Washington, os advogados de Trump disseram que Trump desejava que Blanche e seu outro advogado, John Lauro, estivessem presentes na audiência diante de Chutkan.

“O Sr. Lauro está disponível na quinta-feira, com preferência para a tarde. Porém, como perdemos a sexta-feira como opção, gostaríamos respeitosamente de solicitar uma segunda-feira (após às 12h) ou terça-feira (o dia todo) para permitir para que tanto o Sr. Blanche quanto o Sr. Lauro estivessem presentes”, escreveram eles.

Fonte: Terra

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui