Início Site

Final Fantasy VII: quais games preciso jogar antes de Rebirth?


Com lançamento marcado para o dia 29 de fevereiro, Final Fantasy VII Rebirth promete começar a partir do ponto em que terminou Final Fantasy VII Remake, de 2020. No entanto, para entender totalmente o título não vai bastar ter jogado o capítulo anterior, por mais estranho que isso possa parecer.

Tudo isso é resultado de uma série de decisões da Square Enix, que considera Final Fantasy VII muito além de um jogo único. Desde que a empresa anunciou o Compilation of Final Fantasy VII, em 2003, o jogo teve seu universo de personagens e tramas expandido. Contudo, se certas histórias estão conectadas, nem sempre elas se apresentam de forma acessível.

Mas não se preocupe: ainda será possível aproveitar Final Fantasy VII Rebirth só tendo jogado o Remake de 2020, ou começando direto por ele. No entanto, se você seguir nossas recomendações, são grandes as chances de ter uma experiência mais completa e não ficar perdido em algumas referências inseridas ou situações.

Final Fantasy VII: a base de tudo

O ponto de partida mais óbvio para entender o que acontecerá no remake é o jogo original, lançado para o primeiro PlayStation em 1997. Embora seus visuais tenham envelhecido bastante nas duas últimas décadas, o RPG ainda tem uma história bastante sólida, fortalecida por um sistema de gameplay que resistiu bem à passagem do tempo.

O título é bem mais simples do que o Remake de 2020 e resolve algumas situações de forma mais direta. A melhor maneira de aproveitar o título é conferindo seu relançamento mais recente, que trouxe aceleradores de evolução e uma tradução revisada — e que está disponível para PlayStation, Xbox e Nintendo Switch.

Final Fantasy VII Remake

Outro bom ponto de entrada é o Remake de 2020, disponível para PlayStation 4, PlayStation 5 e PC, via Epic Games Store e Steam. No entanto, algumas decisões criativas da Square Enix podem fazer com que você tenha dificuldades em entender algumas partes, especialmente no que diz respeito a seus momentos finais.

Final Fantasy VII Remake é um bom ponto de entrada.Final Fantasy VII Remake é um bom ponto de entrada.Fonte:  Divulgação/Square Enix 

Isso acontece porque, apesar de ser bastante fiel à trama original, o título também traz alguns comentários que presumem que o jogador já sabe o que aconteceu no passado. Isso significa que, enquanto você encontrará um jogo mais bonito e com um roteiro mais desenvolvido que o original, depender somente dele pode deixá-lo confuso em Rebirth. Como, por exemplo, sem ter ideia de quem é Zack ou porque você deveria se importar com ele.

Crisis Core: Final Fantasy VII Reunion

O game mais impactante da Compilation of Final Fantasy VII, Crisis Core é totalmente focado em Zack Fair, que deve ter um papel importante em Rebirth. Embora cronologicamente ele aconteça antes dos eventos do jogo original, começar por ele pode não ser a melhor opção possível. Isso porque ele mostra muitas coisas que, no game de 1997, são tratadas como grandes reviravoltas.

O título também é o responsável por apresentar alguns personagens secundários importantes que devem aparecer no novo capítulo da série. Caso você não tenha problemas em “estragar” algumas surpresas, o melhor a fazer é apostar na remasterização Reunion, que chegou em 2022 para o PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox One, Xbox Series X|S, Nintendo Switch e PC.

Outros produtos importantes, mas não essenciais

Como a Square Enix trata seu “Universo Final Fantasy VII” como um grande mundo interconectado, outros lançamentos da empresa também trazem elementos que podem ajudar a aproveitar melhor Rebirth. No entanto, a grande maioria deles vai trazer somente alguma pequena curiosidade ou informação adicional, e eles não são considerados essenciais.

Esse é o caso de Dirge of Cerberus: Final Fantasy VII, uma sequência ao game original que permanece exclusiva ao PlayStation 2 e apresenta alguns personagens que devem aparecer na nova trilogia de remakes. No entanto, dado que eles não devem desempenhar papel central e à dificuldade de conseguir o game atualmente, ele não deve ser uma de suas prioridades.

Final Fantasy VII: Ever Crisis é um "remake alternativo" da série.Final Fantasy VII: Ever Crisis é um “remake alternativo” da série.Fonte:  Divulgação/Square Enix 

O mesmo pode ser dito de Final Fantasy VII: Ever Crisis, o “remake alternativo” que está disponível para plataformas mobile e PC. Contando com um formato episódico, o título também introduz novas tramas que enriquecem o universo da série.

Para completar, quem já conhece o game original ou jogou o Remake de 2020 também pode achar interessante conferir a animação Final Fantasy VII: Advent Children. Ela apresenta alguns conceitos sobre Sephiroth e seu legado que estão sendo bastante aproveitados nos títulos refeitos, além de trazer algumas cenas de combate bastante divertidas (e que compensam os vários tropeços de seu roteiro).

E aí, animado para jogar Final Fantasy VII Rebirth? Até lá, confira nossa review e comente suas expectativas nas redes sociais do Voxel!



Fonte: TecMundo

Em um mês a Patrulha Detran recolheu mais 125 veículos abandonados e amplia estratégia nos municípios goianos


Lançada em 15 de janeiro pelo Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran-GO), a Patrulha Detran já está mudando a cara dos municípios. Em apenas um mês, as equipes do órgão removeram 129 sucatas e veículos abandonados, deteriorados ou acidentados em ruas, praças, calçadas na capital e no interior do Estado.

Em Crixás, localizada a 324 quilômetros da capital, a equipe retirou 20 carcaças abandonadas em uma praça da cidade. Já em Silvânia, que fica a 86 quilômetros, dos 29 veículos denunciados, foram recolhidos 21. “Ao serem informados da ação da Patrulha Detran, proprietários recolheram seus veículos”, relatou do presidente do Detran-GO, Delegado Waldir.

Entre os veículos encontrados em Silvânia, um estava há 15 anos no local e era foco de proliferação de mosquito da dengue e outros vetores responsáveis pela transmissão de doenças. Outro veículo removido era utilizado como esconderijo para usuários de drogas.

Ação no interior

A partir de agora, as equipes do programa Patrulha Detran irão visitar os municípios do interior sem aviso prévio. “O Detran-GO está atuando para auxiliar os municípios nesta tarefa de devolver à população os espaços públicos”, afirmou o presidente do Detran-GO

Para a implementação da Patrulha Detran a autarquia reservou viatura caracterizada, guincho e pátio. Importante lembrar que os veículos e carcaças não regularizados após a apreensão poderão ir a leilão.

Combate ao mosquito da dengue

O Delegado Waldir lembra que remover carros e carcaças abandonados em ruas e calçadas promove a limpeza dos espaços públicos, bem como contribui para acabar com a possibilidade do criadouro do mosquito Aedes Aegypti, vetor de doenças como dengue, zika e chikungunya .

“A saúde pública também é uma preocupação do Detran e as carcaças e veículos abandonados, em razão das chuvas, podem se transformar em local propício para o mosquito se alastrar. Somos parceiros na luta contra a dengue. E o trabalho da Patrulha Detran não para”, contou o Delegado Waldir.

Ele ainda informou que as próximas ações serão intensificadas nos municípios em que registram o maior número de casos de dengue, entre eles Goiânia, Anápolis, Aparecida de Goiânia, Novo Gama, Luziânia, Jataí e Rio Verde.

Veículos abandonados

Consta no Art. 279A da Lei 9.503 de 23 de setembro de 1.997, no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) que o veículo abandonado, deteriorado ou acidentado será removido para o depósito fixado pelo órgão ou entidade competente que, faz parte do Sistema Nacional de Trânsito, independentemente da existência de infração à legislação de trânsito, nos termos da regulamentação do CONTRAN.

Caso o cidadão identifique um veículo ou carcaça abandonada, pode entrar em contato com a Patrulha Detran, pelo número 154, que enviará uma viatura caracterizada para avaliar a situação.

Multas

O Detran-GO lembra que, no primeiro momento, a Patrulha Detran orienta os empresários, proprietários e possuidoras sobre os veículos e carcaças localizados nas ruas, em frente as empresas, lojas e residências, fornecendo-lhes um prazo de 24h para corrigir às irregularidades.

Caso haja recusa, o Detran-GO realiza a autuação do proprietário e a imediata remoção ao pátio público. Em seguida, é aberto um Processo Administrativo, tanto para pessoa física, como para jurídica, gerando multas que pode variar de 2 mil a 5 mil reais, independente da infração administrativa de trânsito.



Fonte: Detran-GO

Projeto regulamenta a atividade de procurador dos direitos das vítimas de acidentes de trânsito


Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Reunião Ordinária. Dep. Toninho Wandscheer (PROS - PR)
Toninho Wandscheer é o autor da proposta

O Projeto de Lei 6148/23 regulamenta a atividade de procurador para representar vítimas de acidentes de trânsito em relação a seus direitos. Esse procurador poderá atuar com o representante administrativo de pessoas físicas que sofreram danos em acidentes dessa natureza. A proposta tramita na Câmara dos Deputados.

O texto define como atribuições do procurador:

  • prestar consultoria e assessoria;
  • elaborar contratos;
  • acompanhar todos os processos indenizatórios até o pagamento de indenizações; e
  • representar seus clientes em procedimentos administrativos.

O procurador deve ser brasileiro nato ou naturalizado, estar em gozo dos direitos políticos e quite com as obrigações militares. Também será exigido desse profissional:

  •  diploma de nível médio;
  • não ter sido condenado por crime doloso;
  • ser aprovado em exame do respectivo conselho de fiscalização da profissão; e
  • estar inscrito na Associação Nacional dos Procuradores (ANPS).

O autor da proposta, deputado Toninho Wandscheer (PP-PR), afirma que a profissão de procurador é essencial para proteger os direitos das vítimas do trânsito.

“Essa iniciativa legislativa tem por escopo regularizar a profissão de procurador, buscando a sua regulamentação, garantindo a qualidade dos serviços prestados e a proteção dos direitos dos consumidores”, explica o parlamentar.

Tramitação
O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será analisado pelas comissões de Trabalho; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.



Fonte: Câmara dos Deputados

Acompanhe aqui a cobertura da eleição, com análise do cenário político por especialistas – Notícias


02/10/2022 – 17:13  

Agência Câmara

Profissionais de comunicação da Câmara se preparam para a cobertura da eleição

Os veículos de comunicação da Câmara dos Deputados vão acompanhar as eleições deste domingo (2), focados particularmente no Poder Legislativo. Ao longo do dia, TV e Rádio vão veicular informações de interesse público e promover debates sobre o cenário eleitoral. A partir das 17 horas, todos se voltam para a apuração. A Agência Câmara e as redes sociais institucionais publicarão as bancadas de deputados federais eleitos de cada estado, assim que forem divulgadas pelo TSE, e os resultados consolidados no final da apuração.

TV Câmara e TV Senado estarão juntas para uma cobertura ao vivo especial. Durante todo o dia, as emissoras vão acompanhar de perto a movimentação das urnas e da Justiça Eleitoral, ao mesmo tempo em que vão prestar orientação aos eleitores e discutir os grandes desafios dos próximos eleitos.

O diferencial dessa cobertura ao vivo será o destaque que dará à relevância da escolha dos próximos deputados federais e senadores e o papel do Parlamento na condução dos próximos rumos do País e na vida dos cidadãos.

A programação especial começou às 8h30, com informações voltadas a orientar os cidadãos durante o dia de votações. O que pode e o que não pode, o que levar para a seção eleitoral e tudo o que o eleitor precisa saber neste dia tão importante para a democracia.

Às 11 horas, o Expressão Nacional vai debateu com especialistas o contexto em que as eleições estão sendo realizadas: como se desenrolou a campanha, que cenário o Brasil se encontra, qual o perfil dos candidatos a cada cargo.

E desde as 13 horas, jornalistas da TV Câmara e da TV Senado recebem especialistas para rodadas de entrevistas temáticas sobre os grandes desafios do País. Qual a realidade que os eleitos vão encontrar nas áreas de saúde, educação, infraestrutura, economia, relações exteriores, segurança pública e políticas sociais.

Com o fechamento das urnas, às 17 horas, a cobertura ao vivo estará focada na apuração dos votos, com ênfase para os cargos do Congresso Nacional, interrelacionando as bancadas de deputados federais e senadores com os cargos de presidente da República e governador.

Com o resultado definido, para encerrar a programação especial, um programa conduzido por jornalistas da TV Câmara e da TV Senado vai analisar o cenário que saiu das urnas junto com especialistas, abordando o que se pode esperar do cenário político nacional nos próximos quatro anos.

O público também vai poder acompanhar, durante toda a programação, os flashes ao vivo da reportagem, que trará os acontecimentos mais relevantes do momento.

Rádio Câmara
Desde as 8 horas, o ouvinte acompanha o andamento da votação em todo o País, com boletins ao vivo, de hora em hora, em 96,9 FM Brasília e em www.radio.camara.leg.br. Informações de serviço, o perfil dos candidatos, a participação feminina e os dados do Tribunal Superior Eleitoral.

E desde as 16 horas, os profissionais da Rádio Câmara analisam o cenário político e o impacto dos resultados gerais para a Câmara dos Deputados, com a participação especial dos cientistas políticos Adriano Oliveira, da Universidade Federal de Pernambuco, e Graziella Guiotti Testa, da Fundação Getúlio Vargas.

Nessa segunda etapa da programação especial de eleições da Rádio Câmara, a transmissão continua ao vivo pelo rádio e também pela canal da Câmara dos Deputados no YouTube.

Da Redação/WS



Fonte: Câmara dos Deputados

CAS decide sobre validade permanente do diagnóstico de autismo — Senado Notícias


A Comissão de Assuntos Sociais (CAS) se reúne na quarta-feira (28), às 9h, com 11 itens na pauta de votação. Entre eles, está um projeto de lei que confere validade permanente ao laudo de diagnóstico de transtorno do espectro autista. O PL 3.749/2020, do senador Romário (PL-RJ), altera a Lei Berenice Piana (Lei 12.764, de 2012), que criou a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista, para que o laudo que atesta a condição tenha validade indeterminada.

Romário argumenta que o autismo é uma condição permanente do indivíduo, que não se altera. Assim, estabelecido o diagnóstico, segundo ele, não há razão para obrigar os responsáveis pela pessoa com autismo a passarem pelas dificuldades da busca de novo laudo.

O relator da matéria, senador Flávio Arns (PSB-PR), foi favorável e apresentou emenda de redação. “O PL, ao dispor sobre a validade de laudo que diagnostique autismo, busca diminuir a sobrecarga desnecessária sobre os familiares e responsáveis pelos cuidados de indivíduos no espectro autista, no que consiste a renovação periódica do laudo médico da doença, uma vez feito o diagnóstico da condição. O processo de avaliação é cansativo, custoso e costuma gerar elevada ansiedade nos autistas”, diz.

Se for aprovado na CAS e não houver recurso para votação em Plenário, o projeto será encaminhado para a Câmara dos Deputados.

Reclamação trabalhista

Também será votado na CAS um projeto que permite ao juiz determinar que a reclamação trabalhista tramite em segredo de justiça, desde que demonstrado o perigo de dano a direito indisponível do empregado, ocasionado pela publicidade do processo judicial. O Projeto de Lei (PL) 4.533/2020, do senador Fabiano Contarato (PT-ES), tem parecer favorável da senadora Ana Paula Lobato (PSB-MA). 

Os chamados direitos indisponíveis são aqueles dos quais a pessoa não pode abrir mão, como o direito à vida, à liberdade, à saúde e à dignidade. Pelo texto, o juiz poderá determinar o segredo de justiça a pedido do empregado ou de juízo próprio. No caso de o segredo ser determinado de ofício pelo juiz, o empregado terá que ser ouvido em cinco dias. Se o empregado não quiser o segredo, o juiz revogará a decisão.

Segundo a justificativa de Contarato, o projeto tem por objetivo “inibir o monitoramento de empregados que ajuízam reclamações trabalhistas em desfavor de seus empregadores, a fim de informar a circunstância a futuros contratantes destes trabalhadores”.

O relatório de Ana Paula Lobato acrescenta que a prática de se inserir o nome de trabalhador em lista destinada a dificultar sua contratação por outra empresa é, além de ilegal, profundamente imoral, dado que pode gerar graves e danosos efeitos ao trabalhador, privando-o de sua profissão e de seu sustento”. A relatora ofereceu duas emendas que ampliam o alcance da norma.

Depois de passar pela CAS, o projeto segue para votação final na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Comunidades terapêuticas

O dia 18 de agosto poderá tornar-se o Dia Nacional das Comunidades Terapêuticas, conforme projeto (PL 3.945/2023) de Flávio Arns que recebeu relatório favorável do senador Paulo Paim (PT-RS).

Comunidades terapêuticas são instituições que prestam serviços de atenção a pessoas com transtornos decorrentes do uso, abuso ou dependência de drogas. O atendimento é prestado em regime de residência, cujo principal instrumento terapêutico é a convivência entre os pares. O dia escolhido refere-se à data de criação, em 2012, da Confederação Nacional de Comunidades Terapêuticas (Confenact).

“A comunidade terapêutica é um serviço residencial transitório, de atendimento a dependentes químicos, de caráter exclusivamente voluntário, que oferece um ambiente protegido, técnica e eticamente orientado, cujo objetivo (…) é a melhora geral na qualidade de vida, assim como a reinserção social do indivíduo”, explica Arns.

Em seu relatório, Paim observa que as comunidades terapêuticas também prestam serviços de prevenção, ao educar a sociedade sobre os perigos das drogas. A decisão da CAS sobre o projeto é terminativa.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)



Fonte: Senado

Alunos do Basileu França representam Brasil em evento internacional de balé


Alunos do Basileu França participam de evento na Itália e colocam Goiás nos holofotes dos grandes eventos internacionais (Foto: Secti)

Três estudantes de balé da Escola do Futuro de Goiás em Artes Basileu França foram convidados para abrir o International Talent Award, no Teatro della Regina, em Cattolica, na Itália. André Marra, Antônia Manrique e Yasmin Sabag apresentaram, cada um, uma variação de repertório na abertura do evento, ocorrida nesta sexta-feira (23/02), e também vão dançar no encerramento neste domingo (25/02).

O convite ocorreu após a participação dos alunos no Prix de Lausanne, na Suíça, competição considerada o “Oscar” do balé mundial. No evento, o bailarino João Pedro dos Santos, também aluno da EFG Basileu França, conquistou o primeiro lugar, sendo o único brasileiro na final. Das cinco vagas do Brasil na competição, quatro foram ocupadas por estudantes da instituição goiana de ensino profissional em artes. O Prix de Lausanne foi realizado entre 28 de janeiro e 4 de fevereiro.

Basileu França

Secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, José Frederico Lyra Netto reafirma o compromisso do Governo de Goiás em investir na Escola do Futuro em Artes Basileu França, enaltecendo a projeção internacional do estado no cenário artístico mundial.

“Goiás é referência no mundo e isso é uma honra e uma conquista para todos nós goianos e brasileiros. O estado agora é reconhecido internacionalmente pelo seu corpo de bailarinos, além da nossa música orquestral. E tudo isso fruto de uma escola pública e gratuita. Por determinação do governador Ronaldo Caiado, vamos continuar investindo nos talentos artísticos”, ressalta.

‌Holofotes

A coordenadora de Dança da EFG Basileu França, Simone Malta, que acompanha os estudantes nos eventos internacionais, destaca a importância dessas participações para colocar Goiás nos holofotes dos grandes eventos nacionais e internacionais.

“Estar como convidado neste importante festival na Itália só reforça a importância do investimento do governo de Goiás na profissionalização de nossos artistas. Isso fez com que portas fossem abertas, não só para festivais como também para convites para galas e aberturas de festivais na Europa. Em agosto, por exemplo, iremos para a Turquia para dançar no International Bodrum Ballet Festival”, afirma.

Para este ano, já há a previsão de ao menos três competições internacionais das quais alunos da EFG Basileu França participarão. A próxima será o Youth America Grand Prix (YAGP), considerado o maior festival de balé do mundo em ofertas de bolsas de estudo para bailarinos, que acontece em abril, em Nova Iorque (EUA) – em 2023, alunos do Basileu França conquistaram dois prêmios na competição. Já em julho os estudantes participam do 41º Festival de Dança de Joinville, consolidado como o maior do mundo — no ano passado, a escola voltou com 12 prêmios.

A Escola do Futuro de Goiás em Artes Basileu França é uma instituição da rede de ensino profissionalizante do Estado, ligada à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação. Desde 2021, é gerida pelo Centro de Educação, Trabalho e Tecnologia da Universidade Federal de Goiás (CETT/UFG).



Fonte: Agência Cora de Notícias

COP30 deverá destacar financiamento climático e participação social


A 30ª Conferência da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre Mudanças Climáticas (COP30), que será realizada em Belém (PA) em novembro de 2025, deverá priorizar a discussão do financiamento climático para países em desenvolvimento e também a participação social. A avaliação é da diretora da Fundação Europeia do Clima, Laurence Tubiana, que está no Brasil para participar de eventos paralelos ao G20. 

Ela apresentou a representantes brasileiros os detalhes da força-tarefa criada para debater a necessidade de mobilizar recursos financeiros para apoiar a transição dos países em desenvolvimento e vulneráveis ​​para uma economia de baixo carbono. O grupo é liderado pela Fundação Europeia do Clima, em parceria com os governos da França, do Quênia e de Barbados e já tem o apoio de países como Espanha e Colômbia. Segundo a diretora, a ideia foi bem recebida no Brasil.

“Existe a questão do financiamento internacional, essa é uma das razões da minha vinda aqui, para buscar novas fontes de financiamento, inclusive trabalhando a partir de novas formas de tributação internacional. Sabemos que existem fluxos de atividades que não têm contribuído no âmbito fiscal e que deveriam contribuir, pois se trata de um problema coletivo, sobretudo para os países em desenvolvimento que precisam desses recursos adicionais”, disse Laurence em entrevista na Embaixada da França. 

Na última quinta-feira (22), a diplomata se reuniu com a ministra do Meio Ambiente e Mudança do Clima, Marina Silva. Um dos temas tratados foi a necessidade da participação da sociedade civil nas discussões da COP30, inclusive com as comunidades indígenas. 

“Acredito que as comunidades indígenas da Amazônia têm muito para contribuir, sobretudo no combate às mudanças climáticas e na proteção da biodiversidade. Elas precisam ocupar um espaço não apenas simbólico na definição de um plano nacional”, disse. 

A diretora elogiou o Plano de Transição Ecológica do Brasil, que busca impulsionar o desenvolvimento baseado em preservação ambiental e combate às mudanças climáticas. Segundo ela, além de combater as mudanças climáticas, o plano traz propostas para o desenvolvimento econômico, o combate à pobreza e às desigualdades. “Até agora, acredito que o plano é bastante convincente e coerente, é claro que precisa ser implementado”. 

Laurence Tubiana também criticou a participação do setor petroleiro nas últimas conferências do Clima, especialmente na última edição realizada nos Emirados Árabes. “É importante que eles contribuam, mas não precisam estar no centro dos debates”. 

Em Brasília, a diretora também esteve com o assessor especial do presidente da República, Celso Amorim, com representantes do Ministério da Fazenda, de Minas e Energia, do Itamaraty e do Banco Central, além de representantes de entidades da sociedade civil. Na próxima semana, ela vai participar do Fórum Brasileiro de Finanças Climáticas, em São Paulo, em painel sobre as últimas tendências para o fortalecimento dessa agenda.

Antes de entrar para a Fundação Europeia do Clima, Laurence foi embaixadora da França para Mudanças Climáticas e representante especial para a COP21, atuando como uma das principais articuladoras do Acordo de Paris.



Fonte: Agência Brasil

Saiba como o FGTS Futuro contribuirá para compra da casa própria


A partir de março, o mutuário do Minha Casa, Minha Vida que trabalha com carteira assinada estará mais próximo de receber uma ajuda para comprar o imóvel próprio. O Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) deverá regulamentar o FGTS Futuro, modalidade que permite o uso de contribuições futuras do empregador ao fundo para comprovar renda maior e comprar imóveis mais caros ou reduzir o valor da prestação.

Inicialmente, a novidade funcionará em caráter experimental, para cerca de 60 mil famílias da Faixa 1 do Minha Casa, Minha Vida, com renda mensal de até dois salários mínimos. Caso a iniciativa seja bem sucedida, o governo federal poderá estender a iniciativa a todos os beneficiários do programa, que atende a famílias com renda de até R$ 8 mil mensais.

Instituído pela Lei 14.438/2022, no governo anterior, o FGTS Futuro nunca foi regulamentado. Na época, a legislação permitia o uso dos depósitos futuros no fundo para pagar parte da prestação.

No ano passado, a Lei 14.620, que recriou o Minha Casa, Minha Vida, autorizou o uso do FGTS Futuro também para amortizar o saldo devedor ou liquidar o contrato antecipadamente. No entanto, seja para diminuir a prestação ou nas outras situações, a utilização do mecanismo tem riscos, caso o trabalhador seja demitido e não consiga outro emprego com carteira assinada.

Como funciona

Todos os meses, o empregador deposita, no FGTS, 8% do salário do trabalhador com carteira assinada. Por meio do FGTS Futuro, o trabalhador usaria esse adicional de 8% para comprovar a renda. Com o Fundo de Garantia considerado dentro da renda mensal, o mutuário poderá financiar um imóvel mais caro ou comprar o imóvel inicialmente planejado e reduzir o valor da prestação.

Na prática, a Caixa Econômica Federal, agente operador do FGTS, repassará automaticamente os depósitos futuros do empregador no Fundo de Garantia para o banco que concedeu o financiamento habitacional. O trabalhador continuará a arcar com o valor restante da prestação.

O oferecimento da novidade ao trabalhador ainda levará tempo. Caso o Conselho Curador regulamente a medida em março, a Caixa Econômica Federal precisará definir uma série de normas operacionais. Elas explicarão como o banco transferirá os depósitos de 8% do salário ao agente financiador do Minha Casa, Minha Vida, assim que a contribuição do patrão ao FGTS cair na conta do trabalhador. Somente 90 dias após a edição das normas, as operações com o FGTS Futuro serão iniciadas.

Exemplo

O Ministério das Cidades forneceu uma simulação de uso do FGTS Futuro por uma família com renda de até R$ 2 mil que compra um imóvel no Minha Casa, Minha Vida. Nesse exemplo, a família pode comprometer até 25% da renda (R$ 500) com a prestação.

Com o depósito de R$ 160 do empregador na conta vinculada do FGTS, o trabalhador poderá financiar um imóvel de maior valor, pagando prestação de R$ 660. Em tese, também é possível comprar o imóvel inicialmente planejado e reduzir a prestação para R$ 340, mas esse ponto ainda depende de regulamentação do governo.

Riscos

O mutuário precisará estar atento a riscos. O governo ainda discute o que acontecerá com o trabalhador que perder o emprego. A Caixa Econômica Federal estuda a suspensão das prestações por até seis meses, com o valor não pago sendo incorporado ao saldo devedor. Essa ajuda já é aplicada a financiamentos habitacionais concedidos com recursos do FGTS.

Mesmo que as prestações sejam suspensas, o trabalhador deverá estar ciente de que, caso perca o emprego, terá de arcar com o valor integral da prestação: o valor que pagava antes mais os 8% do salário anterior depositados pelo antigo empregador. Caso não consiga arcar mais com as prestações por mais de seis meses, o mutuário perderá o imóvel.



Fonte: Agência Brasil

Untitled_27

Untitled_27

Fonte: Fecomércio DF

Milton Neves crava favorito ao título Carioca 2024: “Anotem”



Milton Neves crava favorito ao título Carioca 2024: "Anotem"

Milton Neves faz projeção sobre estadual do Rio – Reprodução / YouTube

Passadas nove rodadas do Campeonato Carioca, algumas equipes já destacam sobre as demais e muitos já conseguem prever quais irão de fato brigar pela taça. Atual campeão carioca, o Fluminense desponta ao lado do Flamengo como um dos candidatos ao título estadual. Para Milton Neves, porém, nem Tricolor das Laranjeiras tampouco Rubro-Negro são os legítimos favoritos.

Em coluna publicada no UOL Esporte, o cronista esportivo acredita que o Vasco está na frente dos rivais na corrida pelo título estadual. Dono da quarta melhor campanha com 16 pontos, o Cruzmaltino possui quatro vitórias, quatro derrotas e um empate empate.

Nesta primeira fase, o Vasco saiu invicto nos três clássicos disputados. Diante do Flamengo, empate em 0 a 0, mas com boas chances de vencer o rival. Diante do Fluminense, uma nova igualdade no placar. O primeiro triunfo veio sobre o Botafogo, no Nilton Santos. De virada, o Cruzmaltino fez 4 a 2.

Neste final de semana, Ramón Diaz e companhia encaram o Volta Redonda, no Espírito Santo. Milton Neves prevê mais um resultado positivo dos mandantes.

“Vasco 2 x 0 Volta Redonda. Anotem: o Vasco é o favorito ao título carioca”, apostou o comunicador.

Milton Neves projeta Fla-Flu pelo Carioca e indica vencedor

O grande jogo da 10ª rodada do Campeonato Carioca envolve o tradicional clássico entre Flamengo x Fluminense, marcado para este domingo (25), às 16h (de Brasília), no estádio do Maracanã, Rio de Janeiro. Para Milton Neves, o Tricolor vai confirmar a fama de pedra no sapato do rival.

“Apesar dos desfalques do Flu, o Rubro-Negro tem sido grande freguês do Tricolor nos últimos tempos. Flamengo 1 x 3 Fluminense”, palpitou o jornalista.



Fonte: Torcedores

- Publicidade -
- Publicidade -