Cidade goiana é a mais ágil do Brasil para abertura de empresas

Euclides Barbo Siqueira, presidente da Juceg, comenta dados do Mapa das Empresas: “Precisamos facilitar o serviço oferecido ao empreendedor e ao cidadão comum” (Foto: Juceg)

Dois municípios goianos figuram na lista dos 10 mais ágeis do Brasil para a abertura de empresas, ao final do terceiro quadrimestre de 2023. Os dados são do Mapa de Empresas, divulgado pelo governo federal, por meio do Ministério do Empreendedorismo, da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte.

Anápolis ocupa o topo da lista, com empresas abertas em 17 minutos. Porangatu, no norte do estado, aparece em 7º lugar, com o tempo de 2 horas e 35 minutos.

Abertura de empresas

De acordo com o levantamento, que possui indicadores relativos ao quantitativo de empresas registradas no país e ao tempo médio necessário para abertura de empresas, o tempo médio registrado ao final do terceiro quadrimestre de 2023 para abertura de empresas no Brasil é de 1 dia e 3 horas, o que representa uma queda de 2 horas (6,9%) em relação ao quadrimestre anterior.

Para Euclides Barbo Siqueira, presidente da Junta Comercial de Goiás (Juceg), a posição de Porangatu já é reflexo da desburocratização para abertura de empresas implantada no município. A cidade é a primeira em Goiás a integrar 100% dos serviços referentes à abertura de empresas na RedeSim 2.0.

O Mapa das Empresas aponta Goiás como o 5º com o maior crescimento percentual no número de empresas abertas em 2023, 155.560, uma variação positiva de 3,5% em relação ao ano de 2022. O estado figura, ainda, na lista das unidades da federação cujo tempo médio de abertura de novos negócios fica abaixo de 1 dia.

Goiânia, por sua vez, figura entre as capitais cujos novos negócios são formalizados em até 12 horas, ao final do terceiro quadrimestre de 2023. No recorte regional, o Centro-Oeste permanece como a região com o menor tempo para abertura de empresas, registrando 14 horas, uma queda de 1 hora em relação ao segundo quadrimestre de 2023.

Oferta de serviços digitais

Outro estudo lançado recentemente, o Ranking de Competitividade dos Estados, coordenado pelo Centro de Liderança Pública, com base em dados da Associação Brasileira de Entidades Estaduais e Públicas de Tecnologia da Informação e Comunicação (ABEP-TIC), mostra Goiás como o segundo estado em oferta de serviços públicos digitais, atrás apenas no Rio Grande do Sul, e à frente de Rio de Janeiro, Bahia e São Paulo.

Segundo Euclides Barbo, os serviços oferecidos ao empreendedor goiano fazem parte dessa política de digitalização e desburocratização.

Saiba mais

Juceg implementa Redesim em Anápolis

Fonte: Agência Cora de Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui