Força tarefa na saúde | Contratação de pediatras, ampliação da carga horária e aquisição de 60 ambulâncias

- Publicidade -

Da redação do Conectado ao Poder

Investimento de R$ 18 milhões em ambulâncias e contratação de médicos emergenciais são algumas das ações apresentadas pelo GDF para a saúde

Em coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira (23/5), o Governo do Distrito Federal (GDF) anunciou uma série de medidas voltadas para a saúde pública. Estiveram presentes a secretária de Saúde, Lucilene Florêncio, o secretário da Casa Civil, Gustavo Rocha, e o presidente do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (Iges-DF), Juracy Cavalcante. Durante o evento, os representantes destacaram que o sistema de saúde enfrenta uma tensão significativa, principalmente devido à alta demanda vinda das regiões do Entorno.

Compra de ambulâncias e aumento de leitos

Uma das principais ações anunciadas foi o investimento de R$ 18 milhões na aquisição de 60 novas ambulâncias para a rede pública. Destas, 15 serão destinadas ao Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e 45 para o transporte de pacientes. “Até agosto, todas devem ser entregues para a rede pública”, informou Lucilene Florêncio. Além disso, a secretária ressaltou o aumento de 103 leitos de UTI desde 2022, totalizando 117 leitos pediátricos, 98 de UTI neonatal e 293 adultos.

Aumento da carga horária e contratação de pediatras

Outra medida crucial para enfrentar a crise é a ampliação da carga horária dos pediatras da rede pública. Atualmente, o Distrito Federal sofre com um déficit de 158 pediatras, especialmente nos hospitais de Ceilândia, Planaltina, Sobradinho e Taguatinga. “A nossa busca, enquanto Secretaria de Saúde, é a realização de contratos temporários (emergencialmente)”, explicou Lucilene. Ela também mencionou a intenção de expandir o atendimento pediátrico nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), demandando que o Iges-DF implemente essa especialidade nas unidades que ainda não possuem.

Construção de novos hospitais

Para aliviar a sobrecarga e aumentar a capacidade de atendimento, estão previstas a construção de três novos hospitais. Dois deles já têm empresas contratadas para iniciar as obras. “São entregas a médio prazo, para que a gente tenha um aumento no número de leitos”, destacou a secretária de Saúde.

Alta demanda do Entorno e impacto no sistema de saúde

Gustavo Rocha, secretário da Casa Civil, destacou a pressão adicional causada pela alta demanda de pacientes provenientes das regiões do Entorno. Em Santa Maria, por exemplo, 56% dos atendimentos são destinados a moradores dessas áreas. “O SUS é universal. É um dado que precisa ser colocado porque isso impacta na rede de saúde do DF”, apontou.

Siga o Conectado ao Poder no Instagram: https://www.instagram.com/conectadoaopoder_/

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui