GDF permite o pagamento de impostos no cartão

Contribuinte poderá recolher tributos, como IPVA ou IPTU, no crédito ou débito

O Governo do Distrito Federal (GDF) agora permite o pagamento de impostos e tributos com cartão de crédito ou débito. A medida foi tomada para facilitar a vida do contribuinte e passa a valer com a publicação do Decreto nº 39.972/2019 no Diário Oficial desta terça-feira (23/7).

Nele, o GDF autoriza o credenciamento de instituições financeiras e operadoras de meios eletrônicos para realizar os pagamentos. Dívidas de impostos como IPVA e IPTU, como também multas de trânsito, entre outros, poderão ser pagas no cartão.

O secretário de Fazenda, Planejamento, Orçamento e Gestão, André Clemente, destaca a iniciativa como mais uma forma de relacionamento entre o Estado e o cidadão.

Com a novidade, o GDF põe à disposição do cidadão um meio de pagamento amplamente difundido no mercado. Ao mesmo tempo, ajuda a administração a superar as suas metas de arrecadação.

O GDF não terá custos na prestação deste serviço, e receberá das empresas o valor integral e à vista dos débitos pagos no cartão. O cidadão, porém, poderá parcelar suas dívidas com as operadoras de cartão.

Operação financeira

O parcelamento poderá englobar um ou mais impostos, taxas, contribuições ou outras receitas, a critério da Secretaria de Fazenda, Planejamento, Orçamento e Gestão (SEFP). Nestes casos, deverá estar claro para o usuário os custos totais da operação financeira, os valores de parcela aos quais estará sujeito e o montante do débito para pagamento.

Para que o procedimento comece a ser adotado, as empresas de crédito deverão fazer o credenciamento junto à Secretaria de Fazenda, Planejamento, Orçamento e Gestão (SEFP).

Com isto, poderão disponibilizar o pagamento em estabelecimento próprio, internet ou onde o GDF indicar. Já há manifestações de três empresas interessadas em oferecer o serviço ao cidadão.

O novo procedimento vai facilitar a vida de quem está em débito com os seus pagamentos. Há, hoje, R$ 306,1 milhões atrasados referentes a IPVA. Outros R$ 133, 7 milhões o governo espera receber pelo IPTU e R$ 21,6 milhões pela Taxa de Limpeza Pública (TLP). Há ainda débitos de parcelamentos, que somam cerca de R$ 3,5 milhões, e também poderão ser pagos pelo cartão, mesmo que estejam na dívida ativa.

Fonte: Agência Brasília

COMPARTILHAR
Artigo anteriorDeputados propõem liberar remédios sem aval da Anvisa
Próximo artigoSem Rui Costa, Bolsonaro dá palanque a maior rival do PT
Consultor em Marketing Político; especialista em pesquisa de opinião pública; editor do Portal Conectado ao Poder; escreve a coluna On´s e Off´s, de segunda a sexta, no Jornal Alô Brasília; apresenta o programa Conectado ao Poder, aos sábados, das 6h às 8h, na Rádio 104,1 Metrópoles FM. É presidente da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*

code