Haiti: Em meio à crise de gangs, PMA tem acesso ao aeroporto de Porto Príncipe

- Publicidade -


O Programa Mundial de Alimentos, PMA, anunciou na segunda-feira que teve acesso ao aeroporto internacional na capital haitiana, Porto Príncipe. A agência da ONU chegou ainda à área de Cite Soleil, após mais de dois meses de bloqueios.

Um comunicado destaca progressos na entrega de caminhões de alimentos para a comuna de Cite Soleil e ações para a retoma do uso do aeroporto para voos humanitários de passageiros e cargas.

- Continua após a publicidade -

Confrontos armados

Os confrontos violentos entre grupos armados fizeram com que há mais de dois meses a agência não tivesse acesso às áreas.

De acordo com o diretor nacional do PMA no Haiti, Jean-Martin Bauer, apesar de uma “situação de segurança excepcionalmente complexa”, a agência dá os primeiros passos importantes para colocar as cadeias de suprimentos humanitários de volta online e fornecer assistência aos bairros mais difíceis de Porto Príncipe.

Aumento do acesso da ajuda permitirá que mais assistência possa chegar às instalações portuárias de Porto Príncipe

Aumento do acesso da ajuda permitirá que mais assistência possa chegar às instalações portuárias de Porto Príncipe

O carregamento fretado com suprimentos médicos que foi concluído na quinta-feira marcou a primeira vez em que um avião de carga humanitária da ONU pousou em Porto Príncipe desde março.

A violência de gangues aumentou no Haiti desde o assassinato do presidente do país em 2021. Em março, a situação agravou após a invasão de gangues armadas a prisões em Porto Príncipe, culminando com a fuga de milhares de prisioneiros.

Merenda escolar 

Mais de 2,5 mil pessoas morreram, ficaram feridas ou foram sequestradas devido à  violência em curso no Haiti desde o início do ano. 

O PMA anunciou ter ajudado 1 milhão de pessoas em todo o Haiti desde o início do ano, incluindo o fornecimento de merenda escolar para quase 394 mil crianças.

A agência da ONU também declarou ter distribuído mais de 1 milhão de refeições quentes para 108 mil deslocados vivendo em abrigos temporários.

De acordo com o PMA, o aumento do acesso da ajuda permitirá que mais assistência possa chegar às instalações portuárias de Porto Príncipe.

Bauer destaca que “sem acesso humanitário sustentado e a reabertura de rotas vitais de abastecimento, as pessoas correm o risco de enfrenta níveis ainda maiores de fome” no país caribenho.



Fonte: ONU

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui