PMs denunciam postos comunitários com apenas um soldado e sem viaturas

Parede de vidro está quebrada há seis meses.

A foto acima é de um Posto Comunitário de Segurança (PCS) localizado na Estrutural. A estrutura não fornece nenhuma condição, até mesmo higiênica, aos policias que ali trabalham. Esta PCS apenas simboliza a situação da Polícia Militar no Distrito Federal.

O Portal Guardian Notícias esteve no local. Para ter ideia, uma parede de vidro no PCS está quebrada há seis meses. “O que disserem, além disso, é mentira”, cravou um policial que preferiu não se identificar. O ventilador que tinha, também está sem funcionar. Também não há material de limpeza. “Na época da inauguração tinha de tudo”, relembra os policiais.

Além da falta de uma estrutura adequada, a falta de efetivo para um trabalho ostensivo é motivo de reclamação dos policiais.

Na Estrutural, por exemplo, existem 32 mil habitantes, segundo a última Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios. Porém, de acordo com PMs que trabalham na região, apenas, de fato, somente 4 homens fazem o serviço, dos oito que trabalham diariamente na cidade.

Numa conta simples da situação encontrada na Estrutural são 8 mil habitantes por PM. Segundo a Associação dos Praças Policiais e bombeiros Militares do DF, o ideal seria um soldado por 100 pessoas. Além disso, em cada PCS, segundo a Aspra, um sistema falido, deveriam ter seis policiais. “Hoje tem unidade com apenas um militar, e às vezes até sem viatura”, denuncia a associação. É o que acontece naquela cidade segundo depoimentos colhidos pela reportagem.

A preocupação da associação também refere-se ao déficit do efetivo policial. Atualmente existem 22 mil militares na PMDF. Mas apenas 15 mil estão na ativa. Para a Aspra, deveria ter pelo menos mais 15 mil policiais.

Por Elton Santos, do Guardian Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui