Receita aponta movimentações bancárias suspeitas em contas do marqueteiro de Dilma

receita-aponta-movimentacoes-bancarias-suspeitas-em-contas-do-marqueteiro-de-dilmaSuspeita do órgão é relacionada a crime de lavagem de dinheiro. Em ano não eleitoral, patrimônio de Santana cresceu 4.500%.

Relatório da Receita Federal anexado aos autos da 23ª fase da Operação Lava-Jato, denominada Acarajé, aponta várias movimentações econômicas suspeitas encabeçadas pelo marqueteiro João Santana, responsável pelas campanhas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidente Dilma Rousseff.

Entre as incongruências encontradas pelos auditores da Receita, estão a concessão de um empréstimo de R$ 2 milhões à esposa do publicitário, Mônica Moura, e um crescimento de patrimônio atípico em ano não eleitoral, justamente o período em que houve uma redução de trabalho na agência de publicidade de Santana, a Polis.

A investigação da Polícia Federal aponta que, entre 2004 e 2014, o patrimônio de João Santana cresceu de R$ 1 milhão para R$ 59,1 milhões, enquanto o de sua mulher teria aumentado de R$ 56,4 mil para R$ 19,4 milhões. Mas esse crescimento patrimonial ocorreu de forma mais intensa durante o ano de 2013.

Entre os anos de 2004 e 2012, o crescimento patrimonial de Santana sempre seguiu um crescimento em torno de 30% ao ano. Contudo, de 2012 para 2013, a renda do publicitário saltou de R$ 8,6 milhões para R$ 46,3 milhões. Um crescimento de 4.500% em apenas 12 meses.

Movimentação suspeita

Além disso, também causaram surpresa aos auditores da Receita Federal várias incompatibilidades no que tange à movimentação financeira. Durante o ano de 2012, Santana, segundo a Receita, não registrou créditos bancários em seu CPF (uso de contas, por exemplo). Mas, mesmo assim, declarou ter obtido rendimentos da ordem de R$ 7,8 milhões. Em 2013, ele recebeu em suas contas R$ 27,3 milhões, “movimentação esta considerada atípica (se comparada aos anos anteriores), principalmente em 07/2013, com um crédito de R$ 10 milhões, e em 10/2013, crédito de R$ 17 milhões”, destaca a Receita.

Uma outra transação considerada irregular foi a concessão de um empréstimo de R$ 2 milhões de João Santana a sua esposa. O dinheiro foi repassado em 2011. Mas, naquele ano, a Receita detectou que de suas contas saíram apenas R$ 92 mil e não R$ 2 milhões. A própria esposa de Santana não registrou, em suas contas, créditos desse vulto. Durante o ano de 2012, todos os pagamentos feitos a Mônica Moura totalizaram R$ 519 mil.

Apesar disso, Santana afirmou à Receita que foi ressarcido por esse empréstimo de R$ 2 milhões um ano depois, em 2012. Mas, nas contas de Mônica Moura, os débitos chegaram a apenas R$ 220 mil, pouco mais de 10% da dívida que ela tinha com o marido. “Esta dívida foi baixada no ano de 2012, sem mencionar a forma que foi quitada. No ano de 2012, o contribuinte [Santana] não apresentou nenhuma movimentação financeira em seu CPF, portanto, este pagamento, se houve, também não circulou em conta bancária”, destaca a Receita Federal.

A reportagem de Fato Online tentou contato com os advogados de João Santana, mas não obteve retorno.

Fonte: Fato Online

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*

code