Sebrae apoia 2º Aberto Cyber Open e fomenta empreendedorismo no cenário de jogos eletrônicos | ASN Distrito Federal

Entre os dias 24 e 28 de janeiro, o Sebrae no Distrito Federal apoiou a realização do 2º Aberto Cyber Open, um torneio de jogos eletrônicos realizado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal (Secec), em parceria com a Federação Brasiliense de Esportes Eletrônicos e Tecnologia (FBDEL) e o Instituto Evolução. O evento ocorreu nas instalações da Biblioteca Nacional e reuniu gamers e interessados na área.

O Sebrae organizou um espaço durante o evento para que os participantes pudessem ter um maior entendimento sobre as soluções desenvolvidas pela instituição. Uma das soluções destacadas foi a realização do Empretec Startup, programado para acontecer entre os dias 5 e 9 de março, com inscrições já abertas. O Empretec é um programa global de formação de empreendedores desenvolvido pela Organização das Nações Unidas e promovido no Brasil pelo Sebrae, proporcionando uma formação intensiva e de cunho comportamental voltada para potencializar a capacidade de gestão dos empreendedores.

Foto: Ageu Herlan

“É sensacional esta parceria com o Sebrae. Estamos muito felizes porque os esportes eletrônicos acabam de ser reconhecidos como modalidade esportiva. Com isso, os jogadores, ou ‘cyberatletas’ como os chamamos, agora precisam de orientação, uma vez que devem se tornar pequenos empreendedores; os times precisam se transformar em empresas para poderem ter uma folha de pagamento. E não há ninguém melhor que o nosso parceiro de orientação para micro e pequenos empreendedores, o Sebrae, para fornecer esse apoio diretamente”, analisou o presidente da FBDEL, Arthur Jerônimo.

A prática esportiva eletrônica foi regulamentada no Distrito Federal pela então governadora em exercício Celina Leão no dia 9 de janeiro deste ano.

Presente ao evento, Mateus Brazão, conhecido como Braz no universo gamer da capital, destacou que o Distrito Federal conta com muitos talentos na área, mas enfrenta desafios devido à falta de incentivo. Natural de Macapá e morando em Brasília desde o início de 2019, Braz comemorou o reconhecimento da área como uma modalidade e torce por mais apoio ao setor. Ele próprio desenvolve uma iniciativa de apoio, com a fundação do projeto Saideira e-Sports, que visa impulsionar o avanço do cenário gamer no DF. “A gente consegue mostrar pra Brasília e também para o Brasil esses talentos”, assegura.

Braz, no entanto, comemora que o Sebrae tem fomentado o setor há algum tempo com a oferta de soluções de tecnologia e orientações sobre empreendedorismo, sendo um parceiro constante em eventos de inovação e tecnologia, oferecendo diversas formas de contribuição. “O Sebrae facilita a conexão entre a organização e potenciais parceiros e patrocinadores, fornecendo mentoria para o desenvolvimento da gestão de negócios e liderança, fatores fundamentais para o progresso das organizações. Além disso, oferece assessoria essencial e incentivo financeiro, entre outras formas de apoio. É ótimo ver que o Sebrae tem esse olhar voltado para organizações em ascensão, especialmente aqui no Distrito Federal”, acrescenta.

O Cyber Open recebeu cerca de 8 mil participantes durante os quatro dias. O evento contou com premiações em dinheiro, foi transmitido via internet e foi, ainda, um palco de produção de conteúdos, como podcasts.

Fonte: Sebrae

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui