Sebrae promove visita de empreendedores à Embaixada de Israel

- Publicidade -

Atividade teve como objetivo promover uma imersão no ecossistema de inovação de Israel

Um grupo diversificado composto por empresários, proprietários de pequenas indústrias, startups e representantes do ecossistema local de inovação realizou, na última quarta-feira, 10 de abril, uma visita técnica à Embaixada de Israel no Brasil. A atividade foi promovida por meio da articulação do Sebrae no Distrito Federal e conectou os participantes brasileiros às práticas inovadoras e ao vibrante ecossistema de inovação do país do Oriente Médio, um dos mais disruptivos do mundo.

A visita começou a ser articulada ainda durante o ano passado, após colaboradores da embaixada participarem de um evento promovido nas instalações do Sebraelab, um espaço de estímulo à criatividade e inovação localizado no Parque Tecnológico de Brasília (BioTIC). “O Sebrae mostrou interesse em conectar e apresentar empreendedores ao universo de tecnologia e inovação israelenses. A partir desse interesse, o próprio Sebrae realizou um trabalho de follow-up com os empreendedores e hoje abrimos a porta do nosso território para mostrar um pouco do nosso ecossistema, inspirar e, quem sabe, contribuir para firmar parcerias e novos negócios entre Brasil e Israel futuramente. Que seja o primeiro de muitos outros encontros”, comentou o assessor econômico da embaixada do país no Brasil, Thiago Dias.

- Publicidade -

A visita teve início com um momento destinado a estabelecer conexões entre os empreendedores e os demais participantes. Em seguida, Yonatan Gonen, conselheiro da embaixada de Israel no Brasil, conduziu uma apresentação sobre o país. Ele iniciou destacando dados demográficos do território que atualmente reúne uma população de quase 10 milhões de pessoas, além de rememorar exemplos de tecnologias já criadas no país, muitas das quais são amplamente utilizadas em todo o mundo, como o aplicativo Waze e o pen drive.

Yonatan aprofundou as informações sobre Israel, destacando as estatísticas e os fatores determinantes que levaram o país a possuir o maior número de startups per capita do mundo. Com uma nova startup surgindo a cada seis horas, Israel conta com mais de 9 mil empreendimentos em pleno funcionamento. Além disso, ele destacou que o país se destaca globalmente por abrigar um número significativo de empresas científicas de tecnologia avançada, listadas no mercado de ações de tecnologia.

No país, os investimentos em Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) são tratados com seriedade, e o poder público desempenha um papel fundamental nesse aspecto, alocando uma parcela significativa do PIB local para ciência e tecnologia, viabilizando o fortalecimento de um ecossistema funcional de inovação. O comprometimento com o investimento no setor é tão expressivo que os maiores gigantes da tecnologia do mundo, como Google, Amazon e Apple, construíram e mantêm centros de pesquisa no território israelense. A forma como o país investe na educação também foi abordada durante a visita. O conselheiro falou das estratégias colocadas em prática pelo país para criar oportunidades para jovens, da colaboração com as indústrias e destacou o foco do sistema educacional, que fomenta o empreendedorismo e a inovação. Israel dispõe, ainda, de centros de inovação destinados a populações desfavorecidas e minoritárias e investe na inovação social para combater desigualdades.

A tecnologia climática foi outro assunto abordado durante a atividade. Ari Fischer, adido para agricultura e água da Embaixada de Israel no Brasil, continuou a apresentação falando sobre como a inovação tem ajudado o país, caracterizado pelo clima desértico, a se destacar na produção de alimentos, controle de pragas e contorno de problemas como a escassez hídrica.

Ari também aprofundou outros assuntos nos quais o país se destaca, como segurança, biotecnologia, equipamentos médicos, tecnologia da informação e soluções sustentáveis.

Cláudia Bonifácio, gestora do Sebraelab e responsável por coordenar a atividade na embaixada, enfatiza que a visita técnica proporciona uma perspectiva exclusiva sobre os avanços tecnológicos e as estratégias de inovação aplicadas em Israel. Além disso, destaca que a experiência nutre o pensamento inovador, impulsiona a internacionalização das empresas locais e incentiva a adoção de novas tecnologias e metodologias.

“Estamos cientes de que ninguém alcança o sucesso sozinho. Trouxemos até a embaixada empreendedores em busca de inovação, determinados a dar um passo significativo em direção à expansão de seus negócios. Essa visita foi fundamental para esses empresários de Brasília e representa o início da construção de laços promissores com o próspero ambiente empresarial de Israel”, avalia a gestora.

A visita à Embaixada de Israel contou com a participação do pesquisador Rafael Vivian, coordenador do Colmeia Up, programa liderado pela Embrapa com foco no desenvolvimento de empresas com ideias inovadoras e de base tecnológica para o agronegócio nacional. Ele assegura que a realização da visita dará frutos em um futuro breve, sendo o ponto de partida para o surgimento de parcerias, investimentos e a transferência de conhecimentos valiosos.

“Momentos como esse são extremamente propícios, pois permitem a troca de informações e ideias, sendo parte integrante do processo de desenvolvimento de tecnologias e soluções inovadoras. Israel, com toda sua expertise e incentivo às startups no país, também pode inspirar jovens empreendedores e startups brasileiras a seguirem esse caminho”, assegurou o pesquisador.

Um dos empresários que vislumbrou novas ideias e tecnologias durante a visita à embaixada israelense foi Carlos Ávila, médico e sócio da Arvorah, empreendimento que viabiliza a gestão inteligente de linhas de cuidado em saúde, usando soluções tecnológicas para realizar entregas customizadas para os setores público e privado. Ele reforça que Israel dispõe de um rol de soluções interessantes para a área de saúde, tendo como destaque a preocupação com a questão da cibersegurança, uma preocupação cada vez mais frequente, já que o mundo atualmente convive com grandes volumes de dados.

“Eles desenvolvem tecnologias interessantes para o nosso setor de saúde e, em contrapartida, aqui no Brasil, nós dispomos de um serviço de qualidade referência no mundo inteiro, que é a atenção primária à saúde. Podemos vislumbrar um intercâmbio de conhecimentos na área. Além disso, há outros caminhos, outras soluções que podem ser vantajosas para os dois países”, analisou o empresário.

Contribuíram para a mobilização do grupo de empreendedores e participaram da visita instituições como a Brasil Startups, Sindicato da Indústria da Informação do Distrito Federal (Sinfor/DF), Federação das Indústrias do Distrito Federal (Fibra), Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e Associação dos Desenvolvedores de Jogos do Distrito Federal (ABRING) e a Cotidiano Aceleradora.

Fonte: Agência Sebrae

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui