Obra começou em 2013 e foi interrompida. O objetivo é reforçar os pilares de concreto e recuperar a estrutura metálica

Um dos principais pontos turísticos da Capital Federal, a Torre de TV, está com 90% da reforma concluída. A obra, que começou em 2013, mas foi interrompida entre 2015 e 2018, vai reforçar os pilares de concreto e recuperar a estrutura metálica do monumento.

Projetada pelo arquiteto e urbanista Lucio Costa e inaugurada em 1967, o espaço turístico nunca passou por manutenções significativas e está fechado há mais de quatro anos. 

O investimento do governo local para que Brasília volte a ser referência para os turistas, e consequentemente, gere emprego e renda, é de R$ 16.248.286,00. A previsão de entrega da reforma é para abril deste ano. Após a recuperação, o local passará a ser gerido pelo Banco de Brasília (BRB).   

Segundo o diretor de Edificações da Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), Francisco Ramos, a estrutura terá pintura nova e calçadas. “A recuperação dará segurança aos moradores e turistas, mas também estamos construindo novos acessos no local para dar conforto aos visitantes”, destaca. São cerca de 4.500 m² de calçadas refeitas por 70 profissionais.  

Acordo de Cooperação Técnica  

Em outubro do ano passado, foi assinado um Acordo de Cooperação Técnica (ACT) para o desenvolvimento do projeto de revitalização da Torre de TV, além da criação do Corredor Cultural do Banco de Brasília (CCBRB).

A parceria é das secretarias de Turismo e de Projetos Especiais, da Novacap e do BRB. O acordo também transfere a gestão da fonte luminosa, da feira de artesanato e do jardim Burle Marx ao banco por 20 anos, sendo que o prazo poderá ser ampliado. A instituição financeira investiu R$ 40 milhões na revitalização e valorização desses espaços. 

Iluminação

Em junho de 2019, a Companhia Energética de Brasília (CEB) finalizou a instalação de luminárias LED na Feira da Torre de TV. Em parceria com a Secretaria de Obras e Infraestrutura, a obra faz parte do projeto de revitalização para tornar o DF mais iluminado e seguro.

Foram substituídas 76 luminárias convencionais por equipamentos de LED e instalados 55 postes de aço com a mesma tecnologia de iluminação, totalizando 131 novos pontos. 

Esse tipo de equipamento, além de trazer mais luminosidade para o local, pode gerar uma economia de até 60% para o GDF, já que as luzes de LED possuem 60 mil horas de vida útil e perdem apenas 30% da capacidade quando atingem esse tempo, e as lâmpadas de vapor de sódio queimam quando atingem 32 mil horas. O valor investido pelo GDF foi de R$ 469.412,69, montante que retornará aos cofres públicos com a economia de energia.

Fonte: Agência Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui