Da redação

Especialista diz que legislação específica vai ordenar as ações político-partidárias

O candidato que acha que vai fazer malas-diretas deliberadamente com santinhos para milhares de pessoas durante as eleições municipais deste ano está equivocado. De acordo com a advogada Dayane Mendonça, especializada em proteção de dados, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) está se preparando para coibir essa prática.

“A Lei Geral de Proteção de Dados vai estar em vigor no âmbito das eleições municipais e o TSE quer que os candidatos sigam suas prerrogativas”, analisa a jurista. “Quando pegar uma informação é preciso um aval legal do cidadão, e tem de deixar bem claro para qual é a finalidade”, completa.

De acordo com Dayane, o candidato vai precisar correr atrás de seu público e, principalmente, com consentimento dele e sem incomodar. “Isso é tão importante que, com base nessas informações, é possível influenciar campanhas politicas, compras e, até, no comportamento das pessoas”, completa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui