Entenda a diferença entre tráfego orgânico e tráfego pago, por Jonathan Leão

Da redação

O alinhamento dos dois tráfegos é o tráfego de branding

Entrevistado por Sandro Gianelli e equipe, no programa Conectado ao Poder, da Rádio Metrópoles, o gestor de tráfego e, também, CEO da Agência Next Level, Jonathan Leão, explicou o que, de fato, é o tráfego orgânico e o que é o tráfego pago.

Dizendo que, resumidamente, “tráfego orgânico é aquilo que a gente faz, que alcança as pessoas, sem investir nenhum centavo”, já o tráfego pago é “pegar o anúncio que foi feito por tráfego orgânico e impulsionar ele, por meio de dinheiro, tendo um público alvo, por período determinado”.

No entanto, há a junção desses dois tipos de tráfego, que é o tráfego de branding, como conta o gestor. “Tráfego de branding é você fazer um tráfego pra marca da pessoa, fazer com que aquela marca se torne conhecida, então tanto você pode trabalhar no orgânico, quanto no pago. O lifestyle entra no branding, então a galera que trabalha no mercado financeiro, precisa mostrar para as pessoas que tem resultado com aquilo, dando inspiração as pessoas”.

São diversas as plataformas de marketing digital para conseguir alcance e, com isso, Jonathan Leão explica que usa todas em conjunto. “A gente faz anúncio no Facebook, no Instagram, no YouTube, no Google, que é quando você pesquisa e aparecem as quatro primeiras sugestões, são as publicações pagas, que a gente paga para poder aparecer a marca lá”.

Para que se tenha bons resultados no tráfego pago, de acordo com Leão, o mínimo que se pode investir no Facebook é US$ 1 por dia e no Google, a partir de US$ 10.

Artigo anteriorSobrou para o Papai Noel
Próximo artigoNesta sexta-feira (26), dupla Zé Felipe e Miguel lança nova música
Sandro Gianelli começou a carreira jornalística em 2011. É consultor em marketing político e especialista em pesquisa de opinião. Foi secretário de comunicação social em algumas prefeituras e assessor de imprensa na Câmara Legislativa. É editor do Portal Conectado ao Poder e âncora do Conectado ao Poder na rádio Metrópoles. Apresentou o Conectado ao Poder em duas TVs, passando pela TV União de segunda a sexta, ao vivo, em 2020. Foi colunista do Jornal Alô Brasília, assinando a coluna On’s e Off’s, de 2016 a 2018. Presidiu a Associação Nacional de Portais de Notícias (ABBP), entre 2017 e 2018. Em 2014, estreou o Conectado ao Poder na Rádio Federal. Em 2015, o programa passou para a rádio OK FM, de segunda a sexta. Em 2018, passou para a rádio Metrópoles.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui