“Isso não se passa de uma fake news”, afirma Daniel Donizet sobre as acusações de assédio sexual

Da redação do Conectado ao Poder

O parlamentar é investigado pelo Ministério Público acerca das acusações que ex-funcionárias levantaram sobre uma possível má conduta do político.

“De fato será comprovado, no final das contas que isso não passa de uma fake news e não só isso, quero deixar bem claro aqui. Está tendo uma série de fake news envolvendo meu nome”. Recentemente, o deputado distrital Daniel Donizet (PL), se envolveu em uma grande polêmica. Algumas de suas ex-funcionárias, assessoras que trabalhavam com ele entraram com acusações contra o político afirmando terem sofrido assédio sexual.

Em uma das sessões da Câmara Legislativa, após o assunto ser colocado em questão, Donizet fez questão de contar sua versão dos fatos e negou que tais acusações por parte dele possam, de fato, ter ocorrido. O parlamentar afirmou que quando a notícia se espalhou pela imprensa, um inquérito policial já corria por cerca de 4 meses. Mas segundo ele, já está em fase final possuindo 98% de conclusão. Além disso, pela investigação seguir em segredo de justiça, Daniel disse não poder comentar o caso, mas se disse seguro de sua inocência e se disponibiliza para maiores esclarecimentos. “Depois que teve essa suposta denúncia dessa pessoa na emissora de TV, começou a aparecer um monte de denúncias infundadas, com relato de pessoas que foram exoneradas de outros grupos, mas enfim, como as coisas estão em sigilo, não posso dar muitas informações, mas continuo aqui à disposição”, explicou o político.

Daniel ressaltou que está no seu 2º mandato e nunca teve nenhuma denúncia a seu respeito. Prometeu que em no máximo, 30 dias sairá a resposta final que, segundo ele, comprovam a sua não participação no caso. Ele ainda parabenizou o trabalho de investigação que foi levantado contra ele pela Polícia Civil e pelo Ministério Público.

Por fim, afirmou que quem o conhece sabe do seu caráter e suas atitudes. “E obviamente vocês aqui me conhecem, assessores, a imprensa, os parlamentares que estão aqui desde 2019, me conhecem. Sabem da minha essência, eu jamais seria capaz de assediar uma mulher”.

O presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), Wellington Luiz (MDB), comentou que a principal bandeira da Câmara é o combate da violência contra a mulher, como também, o feminicídio. Para que a verdade real apareça e para o bem do deputado inclusive. “Não tenho dúvidas que essa casa não se omitirá, nós não vamos nos prevaricar das nossas funções”.

O deputado Chico Vigilante (PT), manifestou seu desejo em que o requerimento do caso possa ser averiguado e os culpados sejam punidos, assim como, os inocentes absorvidos. “Se for o caso, eu acho que a comissão de ética e decoro parlamentar deveria ter agido de ofício, já deveria ter convocado essa jovem para depor. Para saber efetivamente o que aconteceu. Como é que se deu esses fatos, para não ficar parecendo que a gente aqui é um covil de pessoas que falam uma coisa e praticam outra. Isso precisa ser apurado”, opinou.

A deputada, Doutora Jane (MDB), também comentou como andam as investigações de assédio sexual contra Daniel Donizet. “Foi reiterado o documento à polícia e nós estamos aguardando receber oficialmente da Polícia Civil as informações a respeito do inquérito para que a presidência da comissão de ética possa adotar as providências, mas a procuradoria da mulher já se manifestou”. A delegada ainda citou uma manifestação que foi feita ao respeito, a moralidade, a dignidade física e sexual das mulheres, que segundo ela, é o que todos nós defendemos.

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui