Um requerimento de autoria do deputado Roosevelt Vilella (PSB), que tem o objetivo de apurar casos de corrupção  do dinheiro da saúde ocorrido no período de 2011 até a presente data já conta com oito assinaturas.

Deputados de oposição ao governo Ibaneis, vão à loucura. Até agora, não se manifestaram se assinam ou não o documento.

A maioria dos deputados de oposição ao governo Ibaneis, na Câmara Legislativa,  como os deputados, Chico Vigilante(PT), Arlete Sampaio (PT), Fábio Félix (PSOL),  Leandro Craus (PV) e Reginaldo Veras (PDT) até agora não assinou o requerimento de Roosevelt Vilella.

A CPI da Saúde, de autoria de Roosevelt,  tem o objetivo de investigar irregularidades, fraudes e corrupção na saúde do Distrito Federal.

O grupo liderado por Leandro Grass se recusa olhar para trás e desenterrar esqueletos passados.

O deputado Roosevelt Vilella defende uma CPI mais ampla que apure  suspeitas de corrupção apontadas pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) a partir de primeiro de janeiro de 2011, passando pelos governos de Agnelo Queiroz (PT) e Rodrigo Rollemberg (PSB), até os dias atuais.

Para Rooselvet, neste últimos 9 anos ocorreram na Secretaria de Saúde do DF,  fatos determinantes com  prisões de agentes públicos e as ações de busca e apreensão de documentos e outros materiais probatórios realizadas no âmbito de operações deflagradas pelo MPDFT.

Ele cita as operações denominadas “Gotemburgo”, “Falso Negativo”, “In Rem Suam” e “Alto Escalão”, sendo esta última o desdobramento da “Operação Checkout”, entre outras envolvendo a gestão da saúde.

“Não deve uma CPI ser instaurada para investigar as irregularidades de um governo apenas, visto que as práticas irregulares e semelhantes, como dito, vêm de outras gestões e perduram, por isso a necessidade de se ir fundo no sentido de esclarecer as denúncias propaladas, de maneira a encaminhar a punição para os malfeitores e o resgate dos recursos desviados para os cofres públicos.”, afirma.

Para o presidente da Câmara Legislativa, Rafael prudente (MDB), as últimas operações realizadas pelo Ministério Publico do DF, que apura um desvio gigante de recursos da saúde, ocorridos durante os governos Rollemberg (PSB) e Agnelo (PT),  foi o que levou o deputado Roosevelt (do mesmo partido do ex-governador Rollemberg)  apresentar uma propositura bem mais ampla  do que a apresentada pelo deputado Leandro Grass que queria uma CPI mínima, restrita apenas na Operação Falso Negativo.

Oito deputados assinaram o requerimento de Roosevelt neste domingo (13).

Com a possibilidade de instalação de uma “CPI, Ampla, Geral e Irrestrita”, alguns parlamentares começaram a retirar suas assinaturas da CPI de Leandro Grass.

Daniel Donizzet (PSDB) foi o primeiro a retirar a sua assinatura e deve ser seguido por João Cardoso (PL), Reginaldo Sardinha (Avante) e Jaqueline Silva (PTB).

Esses distritais  se convenceram que supostos casos de roubalheira do dinheiro da saúde, ocorrida nos últimos 9 anos, têm que ser investigado por ser corrupção sistêmica e  continuada.

Por Toni Duarte
Fonte: Radar DF

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui